Um Voto pela Esperança - é Marina Silva 40! - Entenda!

((•)) Ouça este post

 

Segunda feira dia 29/09/2014, a Bovespa registrou a maior queda dos últimos três anos, recuando 4,52% e o dólar comercial chegou ao valor de R$ 2,45, maior taxa desde 2008, quando a economia mundial enfrentava uma grave crise. Números que acompanharam também a desvalorização de 11%  da Petrobras, a maior empresa brasileira que já foi considerada a 12ª do mundo, mas que no governo Dilma Rousseff caiu para 30º posição, segundo informações da revista especializada "Forbes", em maio desse ano, ou 120ª posição segundo avaliação de outra revista, a britânica Financial Times. Bastou duas pesquisas de intenção de voto para presidente do Brasil serem publicadas, revelando um pequeno crescimento da candidata Dilma perante os outros candidatos, em especial Marina Silva, para que o mercado desse indícios de maior instabilidade. Faltando poucos dias para as eleições, qual é a importância desses dados para o eleitor?

Cheque especial com média de 174% ao ano. Inflação acima da meta, em 6,51% e juros de 11%, são números assustadores quando compreendidos de forma macroeconômica. O cidadão comum percebe, talvez "sinta" mais do que perceba, o custo desses números quando vai ao supermercado e não trás no carrinho de compras os mesmos produtos que trazia pouco tempo atrás. Quando vai abastecer seu carro e encontra o preço da gasolina maior do que uma semana antes, apesar de ser o Brasil um dos maiores produtores desse combustível. Você percebe isso na conta de energia, no quilo do pãozinho, ovos, no valor do tomate, cebola, batatas, que a pouco chegaram a custar absurdos R$ 8,00 o quilo. Na passagem de ônibus sempre aumentando, enquanto não há melhorias para a qualidade de vida da população, senão apenas a exploração do consumo que faça girar "a máquina". Percebemos isso quando a desconfiança do mercado "trava" novos investimentos, fazendo recuar a contratação de funcionários, reduzindo empregos, aumentando a necessidade do trabalho informal. Enquanto o salário mínimo aumenta uma média anual de 6,78%, com a inflação em 6,51%, juros de 11% e uma perspectiva econômica negativa, não faz diferença alguma para o trabalhador esse pequeno aumento salarial, uma vez que a prática econômica no estabelecimento dos preços de produtos e serviços supera os números médios indicados. Ou seja, o que você ganha nunca é suficiente para "valer mais" do que o custo de vida, e qual é o resultado disso? Endividamento! Por isso, 46% dos brasileiros estão endividados em 2014, segundo o IBGE, essa é a maior taxa desde 2005! Somando esses dados a estagnação do PIB brasileiro, que este ano cresceu míseros 0,5% (na prática não houve crescimento!), com média de 2% no governo Dilma, menor taxa dos últimos 20 anos, a constatação é de que o a Presidência do Brasil na gestão Dilma Rousseff foi um verdadeiro fracasso! Falo isso apenas em termos ECONÔMICOS, desconsiderando a priori questões de corrupção que envolvem o seu partido, bem como decisões e iniciativas polêmicas do seu governo.

Os indicadores econômicos oscilam quando "ouvem falar em Dilma" porque as denúncias de corrupção na qual o PT se envolveu trazem insegurança aos investidores, pois um governo acusado, podendo ser condenado por corrupção significa instabilidade no país. Esse não é o tipo de ambiente favorável para investimentos que exigem políticas duradouras e de credibilidade. Outro elemento grave é o posicionamento ideológico do PT alinhado a políticas questionáveis, como as de Cuba, Venezuela, somado a manifestações "passivas" em relação aos regimes totalitários do Irã, Síria, até mesmo de organizações terroristas, como Hamas e o Estado islâmico mais recente. Denúncias de aparelhamento estatal com vistas a repressão da opinião, investigação judicial e limitação do exercício democrático é outro fator que "espanta" o mercado. No governo Lula, enquanto os escândalos não eram revelados e o país respirava novos ares, o clima de confiança e superação aliado a injeção econômica de programas sociais, como o Bolsa Família, contribuiu para um "boom" de crescimento no país. Mas agora, quando o "efeito Lula" já passou e o PT revelou-se corroído pelos condenados no 1º Mensalão, principais líderes do partido, o Brasil se mostra carente de uma nova política, um novo olhar, visionário, que não trate seus corruptos como heróis nacionais, mas gigante pelas próprias decisões e não apenas pela natureza. Uma nova política que vai além dos rótulos e não tem pretensão de criar embates cujos discursos se resumem na luta do "poder pelo poder", mas na construção de ideias, diálogos e contribuições. Uma nova política que preza pela Ética, liberdade de expressão, igualdade de direitos, incentivo ao desenvolvimento SUSTENTÁVEL, valorização da educação e cultura como peças fundamentais da formação humana e uma administração feita pensando nas futuras gerações, e não meramente num plano de poder (reeleição - domínio partidário). Pensando nessa perspectiva, não tenho dúvidas de que entre os candidatos a Presidente, Marina Silva é a melhor opção para o momento que atravessa o país. Ela é a candidata que representa uma nova maneira de governar. De fato, sua visão política não é um discurso, mas uma história de vida, a qual é impossível imaginar que não será refletida em suas decisões. Uma história de superação, enfrentamento da pobreza, olhar holístico do humano, militância por ideais e preservação da vida.

16 anos como Senadora, a experiência de um Ministério em 30 anos de diálogo político com diferentes segmentos e uma formação acadêmica/humana que lhe rende a sensibilidade pela educação, cultura, valorização a diversidade e a elaboração de conceitos (porque muitos reproduzem, mas poucos produzem), além do importantíssimo fato de não ter seu nome envolvido em qualquer tipo de corrupção ou atitudes ilícitas, dão a Marina Silva a bagagem necessária para se posicionar com segurança acerca dos mais variados temas, tendo a humildade em abdicar dos que não possui conhecimento, conquistando o respeito dos que a ouvem. Reconhecida mundialmente pela militância em defesa do Meio Ambiente, ganhadora de prêmios internacionais, Marina Silva tem agora a oportunidade de aliar desenvolvimento econômico e sustentabilidade, sendo referência para o mundo no país de maior biodiversidade e cobertura  florestal do planeta. Os brasileiros por outro lado, tem a oportunidade de reconhecer a necessidade e urgência de uma política que tenha olhos para a sustentabilidade, manutenção do olhar social, econômico, mas com transparência e valores éticos. É isso o que o mercado internacional está enxergando em Marina Silva, a esperança de uma política na qual o Brasil nunca teve, livre de escândalos, disposto a corrigir seus erros e punir os culpados, para que finalmente se desenvolva a passos largos e constantes. Por esse motivo, o Opinião Crítica apoia a eleição de Marina Silva, apostando na esperança de uma experiência de vida trazida para a administração pública. 

Finalmente, te faço o desafio de ler a biografia "Marina Silva - A vida por uma Causa" ou apenas conhecer em detalhes seu programa de governo, discursos, entrevistas, palestras, a opinião de modo geral, e convido você a pensar em Marina Silva como Presidente, não se deixando levar pelas mentiras espalhadas na mídia acerca dessa candidata que tem como única finalidade desconstruir sua reputação, causar pânico e insegurança nas pessoas, para que se "acomodem" e deixem tudo como está! Não se engane, olhando para junho de 2013, quando multidões saíram as ruas pedindo uma nova política, faça jus a necessidade de mudança para melhor e vote pela esperança! Diante das urnas teremos a chance real de manifestar nossa indignação contra o governo atual, votando pela renovação, mantendo as conquistas, corrigindo os erros, criando novas oportunidades, retomando o crescimento. Eu quero agora que o "Efeito Marina" de uma política Ética, economicamente correta, humana e sustentável, se alastre por gerações e se transforme na orientação política do Brasil, deixando de ser apenas um efeito, para ser referência! Voto Marina Silva 40.

Abraço e até a próxima...
R$ 2,456
R$ 2,456
R$ 2,456
R$ 2,456

Faixa Exclusiva para Usuários de Celular é criada na China!

((•)) Ouça este post


A procura pela melhoria na mobilidade urbana é algo discutido e acatado em vários países. Porém, a China foi além deste princípio. Devido ao intenso uso de celular, a cidade de Chongqing resolveu inovar e criou uma faixa exclusiva para quem não larga o celular.

O objetivo é proteger as pessoas enquanto elas teclam, falam e caminham, tudo ao mesmo tempo.

Se realmente for comprovado o benefício do local exclusivo para os usuário de celulares, muita gente vai aderir ao uso dessa faixa, inclusive os brasileiros.

Essa ideia é semelhante a um projeto realizado na cidade de Washington (EUA). A criação de vias para celular é estudada também pelos americanos, por causa do alto número de acidentes motivados pelo uso do aparelho.

Em 2013, foi realizado um estudo pela Universidade de Ohio, que mostrou o crescimento do número desses acidentes de 256 em 2005 para 1.506 cinco anos depois, de acordo com os dados de emergência do país.

Fonte: O Povo

/
2leep.com