Faixa Exclusiva para Usuários de Celular é criada na China!

((•)) Ouça este post


A procura pela melhoria na mobilidade urbana é algo discutido e acatado em vários países. Porém, a China foi além deste princípio. Devido ao intenso uso de celular, a cidade de Chongqing resolveu inovar e criou uma faixa exclusiva para quem não larga o celular.

O objetivo é proteger as pessoas enquanto elas teclam, falam e caminham, tudo ao mesmo tempo.

Se realmente for comprovado o benefício do local exclusivo para os usuário de celulares, muita gente vai aderir ao uso dessa faixa, inclusive os brasileiros.

Essa ideia é semelhante a um projeto realizado na cidade de Washington (EUA). A criação de vias para celular é estudada também pelos americanos, por causa do alto número de acidentes motivados pelo uso do aparelho.

Em 2013, foi realizado um estudo pela Universidade de Ohio, que mostrou o crescimento do número desses acidentes de 256 em 2005 para 1.506 cinco anos depois, de acordo com os dados de emergência do país.

Fonte: O Povo

O Governo Parasita e a Esperança que Vence o Medo!

((•)) Ouça este post


O brasileiro está cansado da velha política! A maioria do povo almeja a esperança de ver seu país sendo administrado por um governo que possa ter orgulho e não vergonha! Eleições decididas por negociatas. Propostas aprovadas mediante acordos de interesse sobre o Estado. Disputas de poder apenas para sustentação de bases aliadas e manutenção de cargos. Projetos de lei enfiados "goela a baixo" da população. Privilégios políticos intermináveis. Criminosos tratados como heróis. Desvio do dinheiro público, superfaturamento de obras, licitações fraudulentas e o desprezo das prioridades que beneficiam diretamente a população, são apenas alguns dos motivos pelos quais todos estamos fartos da política. No entanto, o que é possível fazer?

As conquistas do Brasil nos últimos anos não representam 50% do que poderia alcançar se fossem aplicados de modo suficiente e correto os recursos públicos, por exemplo, em saúde, segurança, educação, cultura e tecnologia. A melhoria na distribuição de renda, através de programas como o Bolsa Família, ajudaram a impulsionar a economia, revelando o quanto o Brasil é um país fértil para o crescimento, bastando para isso alguns poucos incentivos, uma vez que já "é rico pela própria natureza". A facilitação do acesso a educação superior é outro fator chave para esse desenvolvimento, muito embora não signifique boa qualidade. Nesses casos tivemos avanços, sim, mas a questão é: e não deveria? Ora, muitos defensores do governo atual se "apegam" ao fato do país ter evoluído em alguns quesitos, querendo dizer que por tais melhorias é justo aplaudir essa gestão. ERRADO! Avançar não é um mérito quando se tem recursos suficientes para isso, é sim uma obrigação! Fazer mais e melhor é dever de todo governo, especialmente quando assume uma administração encaminhada para a estabilidade monetária, como foi o caso do PT em 2002. O que não se pode admitir é pensar que por realizar alguns avanços no âmbito econômico (porque qualidade de vida é outro papo), o governo tem o "direito" de aparelhar o Estado com a finalidade de exercer influência sobre as instituições, obtendo privilégios financeiros, favorecimentos ilícitos, realizando negociatas, apropriando-se do bem público como, por exemplo, a Petrobras, para em troca disso oferecer poucos benefícios e uma boa imagem. Nenhuma corrupção é legitimada por boas intenções ou medidas paliativas. Os erros veem a tona e repercutem na administração, o resultado é um país que no último governo tem desacelerado a economia, com média vergonhosa de crescimento em 2% ao ano, novos escândalos de corrupção, inflação, recessão técnica e uma moralidade política completamente desgastada.

O povo já percebeu qual é o tipo de "crescimento" proposto pelo governo do PT: o de que é submetido aos seus interesses e de "aliados", permitindo que parte dos ganhos, fruto do trabalhador, se converta em privilégios para seus grupos. Em outras palavras, a prática é a seguinte: darei ao povo água e pão, mas tomarei para mim e meus aliados uma comissão, pois afinal, graças ao nosso "esforço" eles tem o que comer e beber! Aplique essa lógica na educação, saúde, moradia, etc. Vemos então o quanto o "crescimento" do país e investimentos em alguns programas  podem ser lucrativos, desde que parasitado por seus mentores.  
A triste realidade é que nos tornamos pulgões escravos das formigas líderes do PT, numa verdadeira relação sinfílica, produzindo o açúcar de que precisam para se sustentarem no poder. 
  
Isso não é surpresa, a história apenas se repete, foi o que pudemos observar durante o "comunismo" soviético, assim como na China, Coreia do Norte e Cuba atuais, em todos os casos, economias instrumentalizadas servindo aos ditadores do regime que se "justificam" com um crescimento regulado para essa finalidade, enquanto o povo continua sofrendo necessidades e privação de direitos. Isso porque ao final, por exemplo, o que seria equivalente a 100% de ganhos para o povo, cai para 30%, pois 70% é distribuído em fatias entre os "aliados", para que os acordos se mantenham e o "poder" permaneça! O fato é que diante de governos que não fizeram/fazem absolutamente nada ou muito pouco, para a população 30% parece muito. É igual um morador que após 10 anos lutando para que asfaltassem sua rua, quando surgiu um Prefeito que além de calçar, construiu uma praça na esquina com dois bancos de cimento, um poste e uma árvore de espinhos, ganhou completamente a devoção política do morador, afinal, esse Prefeito foi o único em 10 anos capaz de fazer míseros 30% de ações. Entendeu? Esse é o caso do governo petista no Brasil, ao instituir, suponhamos, 30% mais de políticas sociais agregadas ao avanço econômico do governo anterior. Mas afinal, haverá quem aplique os 70% restantes, praticando uma política de serventia para o povo, capaz de consolidar uma Ética respeitável no sistema público?

Eu escolho a esperança! Temos motivos para desacreditar na Política, mas temos razões para não desistir do Brasil, porque é nesse país que precisamos viver e criar nossos filhos, conquistar, trabalhar e até lutar para defender. Se abrirmos mão da esperança em acreditar que é possível melhorar, qual é a razão de sair as ruas e protestar pelo trânsito, saúde, escolas, segurança, igualdade de direitos e tantas outras necessidades? O sistema pode ser desacreditado, mas ainda é possível acreditar nas pessoas que fazem o sistema funcionar, especialmente àquelas que ainda não tiveram sua oportunidade de governar. Para isso é preciso conhecer bem os candidatos, depositar seu voto em quem possui história de luta em favor do que você acredita. Um grande mal dos brasileiros que agrava nossa condição social é a falta de consciência política, o voto de loteria, por influência ou por troca de favores. Não faça isso, vote consciente. Minha consciência me diz que para as eleições de Presidente deste ano, uma condição necessária é a mudança. Mais do que por uma razão administrativa, trata-se também de uma questão MORAL. Não estou entre os conformados com um GOVERNO PARASITA, a riqueza que sai do povo precisa retornar ao povo com 100% de ganhos. Se o Brasil que temos pode muito mais, não é mérito de governo algum prometer alcançar isso, é uma obrigação, pois é para isso que o povo trabalha e destina quase metade das suas rendas em impostos.
 

Biografia de Marina Silva escrita por Marília de Camargo César


A mudança nos permite o abrir das possibilidades, e é nelas que depositamos esperança aliadas à capacidade administrativa de um novo gestor. Não vejo razão em dar mais quatro anos de mandato a um governo que já está por 12 anos no poder e não conseguiu cumprir suas promessas, entregando apenas 30% dos ganhos. Estou convencido de que acreditar na possibilidade de um governo que faça mais, e melhor, atendendo os anseios da sociedade atual, é melhor do que deixar tudo como está.  Meus critérios para definir esse novo candidato são:

01 -Identificação com a condição de vida que representa a maioria da população;
02 -Militância política por convicção de ideais, filosofia de vida;
03 -História  de atuação política respeitada por uma postura coerente, ética e transparente;
04 -Experiência administrativa, especialmente em gestão pública;
05 -Capacidade de articulação política em diferentes setores, tendo seus ideais como referência;
06 - Visão política ampla, não partidarizada, mas agregadora e motivacional;
07 - Ser referência como pessoa, nas ruas, na família, com os amigos, no estilo de vida.

08 - Conhecimentos fundamentais em economia, direito, administração e meio ambiente.

Essas características para mim reduzem significativamente as chances de um político não cumprir seus compromissos. Elas apontam autenticidade, muito mais do que uma carapaça política, a qual a maioria tem. Essas características nos fazem enxergar o político como sujeito, para só então ver a política na sua pessoa. Acredito que quem age como pessoa, faz política espontaneamente, diferente de quem não é sujeito e tenta fazer política. Esse último será uma marionete dos "mais fortes". Por fim, dos candidatos que estão ai, o que mais se encaixa nessas características é a candidata Marina Silva, por isso votarei 40 para Presidente. Não vou aprofundar suas características nesse espaço, porque a biografia escrita por Marília de Camargo César descreve de forma suficiente o que todo eleitor deveria saber sobre essa "filha da Amazônia". Caso os amigos leitores tenham dúvida sobre essa candidata, desafio a leitura do livro, repleto de relatos e declarações de testemunhas e da própria Marina, que lhes fará compreender o porquê nesse atual cenário da política brasileira, Marina Silva representa novos ares, esperança e as possibilidades de que tanto precisamos.

Abraço e até a próxima...

/
2leep.com