Contrariando Bolsonaro, ANVISA libera compra de 6 milhões de dose da vacina chinesa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) acaba de liberar a compra de pelo menos 6 milhões de doses da CoronaVac, mais conhecida como “vacina chinesa” contra o novo coronavírus, na tarde desta sexta-feira.

O produto é elaborado pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo. A informação, segundo informações da revista Veja, é de que mais 40 milhões de doses do medicamento sejam produzidas até o final do ano.

“O restante será produzido a partir do princípio ativo importado. A informação já foi repassada para as autoridades do estado de São Paulo, inclusive ao governador João Doria”, informa a revista.

ANVISA e Bolsonaro

Se confirmada oficialmente a decisão, a liberação para a compra da vacina ocorre um dia após o presidente Jair Bolsonaro afirmar que o governo não comprará o medicamento de origem chinesa, visto estar ainda em fase de testes.

Bolsonaro, contudo, deu a entender que caso à ANVISA aprove o uso do medicamento, a vacina poderia ser comprada. Entretanto, o anúncio feito apenas um dia após a manifestação do presidente sobre o assunto torna a decisão do órgão suspeita, dado o embate político sobre o tema.

A informação de que o governador João Doria já estaria ciente da liberação também torna a decisão da Anvisa ainda mais preocupante.

Atualizações em breve…

Médico alerta: “Efeito colateral da vacina chinesa pode ser pior que a Covid-19”