“Não compraremos vacina da China”, diz Bolsonaro a ministros, segundo reportagem

Após o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmar que havia assinado um protocolo para a aquisição de 46 milhões de doses da vacina chinesa CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro reagiu negando a compra do medicamento.

“Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid 19“, afirmou o presidente a ministros, segundo apuração jornalística do Poder360.

Pazuello foi fortemente criticado por apoiadores do presidente na última terça-feira pelo anúncio da compra da vacina chinesa, considerada por muitos indigna de confiança. Se confirmada a declaração do presidente, certamente Bolsonaro ganhará pontos com a sua base de apoio mais próxima.

A expectativa é que Bolsonaro comente a repercussão dessa declaração nas próximas horas, assim como a declaração feita pelo ministro Pazuello, que nesse momento fica em uma tremenda saia justa diante da opinião pública.

Quem cometer corrupção vai tomar “uma voadora no pescoço”, diz Bolsonaro