Um artista que ama o Brasil, exalta nosso patriotismo e não precisa da Globo

Durante muitos anos, mais precisamente por décadas, fomos condicionados a valorizar os artistas que a TV nos apresentava. O que era posto como digno de fama e aceitação, isto era recebido pelo grande público com louvor na maioria das vezes, sendo a Rede Globo a maior fábrica dos ‘ídolos’ nacionais.

Felizmente, a facilidade de acesso à internet e o surgimento das mídias sociais romperam com esse modelo. Agora, pessoas podem adquirir fama e sucesso avassaladores sem o intermédio da TV, usando apenas as suas redes e o apoio orgânico do público, sem auditório ensaiado atrás das câmeras.

Entre os famosos da atualidade que ilustram muito bem essa nova realidade está o cantor Gustavo Lima, que no sábado arrastou uma incrível multidão de dezenas de milhares de pessoas na Arena BRB, em Brasília, em mais uma edição do Buteco do Gusttavo, que também teve a participação de outros cantores, como César Menotti & Fabiano.

O momento mais emocionante do evento ocorreu durante a abertura do show do Gustavo, quando ele se dirigiu ao público com palavras de exaltação ao Brasil e aos nossos valores, frutos da cultura cristã. A liberdade, por exemplo, tão cara para nós, foi defendida repetidamente por ele.

Gustavo afirmou: “Na vida é Deus, pátria, família e liberdade. Liberdade para pensar, liberdade para agir, liberdade para vencer, liberdade para conversar, liberdade para tá na internet, liberdade de expressão, liberdade de conquista. E a gente tem que conquistar essa porra. Porque o Brasil é nosso”.

Na mesma fala e já sendo ovacionado pela multidão, Gustavo Lima também lembrou o que faz parte da essência do povo brasileiro, eu diria não só do sertanejo, mas de cada pessoa que reconhece a importância dos valores simples ensinados pela família.

“Eu quero dizer que vocês são os donos desta pátria amada, Brasil. O que o sertanejo tem ou tinha? É a simplicidade, o jeito de conversar, é tomar uma, levantar cedo, dormir tarde, acordar e pedir benção para um pai e para uma mãe. Aqui nunca vai ser o comunismo, mas uma democracia. Uma democracia para fazer o que você quiser”, disse ele.

É isso mesmo, Gustavo! É disso que precisamos, acreditamos e lutamos para defender. É de artistas como você que o Brasil precisa, e não de “ídolos” fabricados pela Globo ou qualquer outra emissora, com o objetivo de nos alienar e destruir o nosso senso crítico em prol dos interesses de alguns grupos.

O meu elogio, aqui, vai muito além da música e do artista sertanejo. Elogio, sobretudo, a atitude de exaltar o patriotismo e a nossa identidade enquanto povo. Diferentemente de algumas ‘celebridades’ que ganham fama com a bunda, você, Gustavo Lima, tem o nosso respeito pelo talento que tem; este sim, genuíno e não fabricado.

A minha torcida é para que vejamos cada vez mais artistas como Gustavo Lima exaltando o Brasil, Deus e a família, em vez de bandidos, corruptos e imorais. É para isso que continuarei lutando, agora como pré-candidata a deputada federal pelo Paraná, mas principalmente como ativista, cristã e conservadora.