Avenida Brasil

Denúncia: Globo vai reprisar uma das novelas mais violentas no horário da tarde

Avenida Brasil possui cenas de sexo, pedofilia, assassinato, violência contra a mulher e prostituição

Família e Atualidades

Família e AtualidadesMarisa Lobo é psicóloga clínica, autora de vários livros, especialista em saúde mental e conferencista. Há anos realiza palestras dentro e fora do Brasil sobre prevenção e o enfrentamento das drogas, depressão e suicídio, sendo conhecida também pela luta contra o ativismo ideológico de gênero, aborto e desconstrução familiar.

25/09/2019 17h16
Por: Marisa Lobo
Avenida Brasil possui cenas de sexo, pedofilia, assassinato, violência contra a mulher e prostituição. Reprodução: Google
Avenida Brasil possui cenas de sexo, pedofilia, assassinato, violência contra a mulher e prostituição. Reprodução: Google

A Rede Globo vai reprisar uma das novelas mais violentas de sua programação no "Vale a Pena Ver de Novo", às 15h. Com isso, quero alertar ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, assim como demais autoridades que lutam tanto contra a corrupção e proteção da infância, para o fato de que a transmissão dessa novela será uma forma de corromper crianças que estarão vulneráveis em todos os sentidos.

A novela Avenida Brasil é uma produção que foi veiculada no horário das 21 horas em 2012, mas que agora será exibida às 15 horas da tarde, horário em que muitas crianças e adolescentes estão em casa. Essa produção possui cenas de sexo, pedofilia, assassinato, violência contra a mulher, prostituição e agressão aos animais, motivo pelo qual foi considerada uma das mais violentas na história da TV.

A Avenida Brasil, embora tenha sido um novela de muita audiência, ganhado prêmios em todo mundo, é uma novela para adultos. A trama é muito pesada para crianças e adolescentes. De nada adianta a rede Globo fazer campanhas como o Criança Esperança e ao mesmo tempo desrespeitar a criança, colocando a sua integridade emocional e psicológica em risco,

Faço um apelo ao ministro Sérgio Moro, responsável direto pela pasta que controla a classificação indicativa dos conteúdos na TV, para que atue no sentido de averiguar a legalidade da decisão da rede Globo no tocante aos direitos infantis garantidos no Estatuto da Criança e do Adolescente, lembrando que na época em que a novela Avenida Brasil foi exibida, varias reclamações da mesma natureza também existiram, mas foram ignoradas.

Avenida Brasil é centrada na vingança de Nina (Débora Falabella) contra Carminha (Adriana Esteves), que matou seu pai e a abandonou ainda criança em um lixão. João Emanuel Carneiro pegou pesado. Nina colocou Carminha para limpar latrina, forçou-a a assumir para a família que foi prostituta e começou a tratá-la como empregada.

A agressiva frase "ME  SERVE, VADIA", que fez sucesso na internet, jamais poderia ser exibida na faixa vespertina, pois temos crianças sozinhas muitas vezes em casa, expostas a conteúdo adulto. Como se não bastasse, ainda tem cena de violência contra animais e relações sexuais.

Sabemos que os pais tem que ter o controle dos conteúdos acessíveis aos filhos, mas na TV aberta, em horário que as crianças estão em casa, vulneráveis e muitas vezes sem os pais, fica impossível filtrar tais conteúdos com perfeição, por isso é, também, papel do poder público regular a mídia. Em canal fechado podemos bloquear conteúdos, mas na TV aberta é quase uma audiência cativa.

Nossas crianças têm sido desrespeitadas por muitos segmentos da sociedade. Não podemos permitir que um canal de TV desrespeite dessa forma a infância. Falo como psicóloga que temos a obrigação, dependente de ideologias partidárias, nos unir com todos que ainda entendem que una criança não pode ser exposta a conteúdos tão abusivos. Não se trata de censura e sim de proteção à integridade da criança, já que a violação disso pode caracterizar abuso infantil.

Deixo registrado aqui o meu alerta e apelo ao poder público.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas