Contradição do PT

PT quer processar Moro e Bolsonaro por citarem diálogo do partido com o PCC

O PT diz que mensagens obtidas pela Polícia Federal não são dignas de confiança, mas defende o uso de material obtido por hackers contra a Lava Jato

12/08/2019 09h43
Por: Will R. Filho

Desde o início de junho desse ano, o site Intercept Brasil vem divulgando mensagens obtidas por meio criminoso, através de hackers, para acusar os integrantes a operação Lava Jato de conluio político. Entre os apoiadores dessas reportagens está o Partido dos Trabalhadores (PT), que tem utilizado sistematicamente o material dos hackers para acusar o ministro da Justiça, Sérgio Moro, de atuação política em seus julgamentos contra o ex-presidente Lula, condenado por corrupção.

Agora, ironicamente, o mesmo Partido dos Trabalhadores prometeu entrar nesta segunda-feira (12) com uma ação no Supremo Tribunal Federal contra Sérgio Moro e o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, por fazerem citações de uma mensagem obtida pela Polícia Federal, de um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

Na mensagem, o traficante Alexsandro Roberto Pereira, mais conhecido como "Elias", afirma de forma clara que o PT mantinha um "diálogo" com o PCC, como é possível ler abaixo:

“Pra você ver, o PT com nois [sic] tinha diálogo. O PT tinha diálogo com nois cabuloso, mano, porque... situação que nem dá pra nois ficar conversado a caminhada aqui pelo telefone, mano. Mas o PT, ele tinha uma linha de diálogo com nois cabulosa, mano”, afirma Elias, segundo relatório da PF revelado pela TV Record.

Com base nisso, tanto o presidente Bolsonaro quanto Sérgio Moro utilizaram suas redes sociais para divulgar essas informações, citando os veículos da imprensa que noticiaram essas mensagens. Mas agora, para a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, a citação dessas mensagens seria ilegal, já que ela é "a fala de um criminoso, sem nenhum indício, relacionando o partido ao PCC".

Chama atenção a posição contraditória de Gleisi, pois quanto às mensagens obtidas por meio de hackeamento, e divulgadas pelo Intercept Brasil sem qualquer perícia feita por autoridades públicas, ela e seu partido, o PT, não criticaram, mas pelo contrário, usam o material como forma de acusação contra a Lava Jato.

Todavia, quando se tratam de mensagens obtidas de forma legal - pela Polícia Federal -, Gleisi e o PT consideram criminosas? Ao que parece, se for algo que denuncie o Partido dos Trabalhadores, sim! "Ao divulgar, reiteradamente, notícias falsas e acusações infundadas contra o Partido dos Trabalhadores, o presidente incorre em crimes e comete uma série de irregularidades eleitorais, atentando contra as regras democráticas da disputa política", afirmou Gleisi.

No entanto, contrariando a declaração da petista, às mensagens divulgadas no relatório da Polícia Federal, noticiadas pela imprensa e repercutidas por Bolsonaro e Sérgio Moro, são mais confiáveis do que às obtidas pelo Intercept Brasil, visto que é fruto de investigação criminal, feita por agentes públicos, e não de estelionatários e ativistas políticos.

O que fica evidente, portanto, na intenção do PT em processar Bolsonaro e Moro, é a tentativa de ofuscar a gravidade das afirmações feitas por "Elias", que na prática não teria qualquer interesse de associar o PCC com o PT, salvo não tivesse realmente fundamentos reais.

Ora, a lógica é simples: por qual motivo um traficante beneficiaria o atual governo com tais declarações, sendo justamente o que mais combate o crime organizado, com apreensões recordes de drogas desde o início do ano? Nenhum! O lamento de "Elias", portanto, pela falta de "diálogo" com a gestão atual, é o que faz mais sentido.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Blogs e colunas
Últimas notícias
Mais lidas