Bolsonaro

Moro sabia que Adélio não agiu sozinho em atentado contra Bolsonaro, diz Lacombe

O Aqui na Band convidou o advogado criminal Marcelo Knopfelmacher para falar do caso Adélio Bispo.

11/05/2020 13h32Atualizado há 2 semanas
Por: Will R. Filho
Reprodução: Google/montagem
Reprodução: Google/montagem

Uma revelação polêmica e de extrema gravidade foi feita na manhã desta segunda-feira (11) no programa de TV "Aqui na Band", da rede Bandeirantes, após o jornalista Luís Ernesto Lacombe trazer novos elementos ao caso Adélio Bispo, que tentou assassinar o presidente Jair Bolsonaro em 2018.

Lacombe afirmou que uma fonte próxima ao ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que ele sabia que Adélio Bispo não agiu sozinho em seu atentado contra o presidente da República.

O Aqui na Band convidou o advogado criminal Marcelo Knopfelmacher para falar do caso Adélio Bispo. Entre outros pontos, ele abordou o fato da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ter se posicionado contra a quebra de sigilo telefônico dos advogados de Adélio.

Apesar de defender a importância do sigilo, Marcelo ressaltou que em casos de extrema gravidade ao menos conversas entre terceiros (não entre advogado e cliente) poderiam ser apuradas.

É "um crime contra a segurança nacional", disse ele. "Alguns princípios devem ser relativizados", destacou, se referindo à quebra de sigilo. A revelação de Lacombe, no entanto, é a mais intrigante, pois ela envolve o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro.

Se verdadeira a informação da fonte jornalística de que Moro tomou conhecimento de que outra pessoa teria agido com Adélio Bispo, trata-se de mais uma linha de investigação, ao que tudo indica, não apurada.

Se essa linha de investigação não foi explorada, o ex-ministro teria sido irresponsável ao não querer cobrar como deveria à apuração desses fatos, como sugeriu o presidente Jair Bolsonaro ao criticar Sérgio Moro durante coletiva em 24 de abril?

Moro se contradiz?

Chama ainda mais atenção o fato de que Moro afirmou em depoimento à Polícia Federal no sábado (02) "que antes do final das investigações não é possível concluir se Adélio agiu ou não sozinho no atentado contra o presidente durante a campanha eleitoral de 2018", informou a Gazeta do Povo.

Ora, se uma fonte próxima do ex-ministro acaba de confirmar que ele tinha conhecimento de que Adélio não agiu sozinho, por qual motivo Moro disse dias atrás que não é possível fazer tão conclusão? Tudo muito estranho!

Veja um trecho do programa abaixo: