Conhecida como “Bruxa da Cracolândia”, mulher muda de vida e ganha diploma

A dependência química produz marcas para o resto da vida. Sair desse mundo é difícil, mas também é possível quando se encontra ajuda de forma correta. Foi o que aconteceu com uma mulher que ficou conhecida como a “Bruxa da Cracolândia“.

Silvia Regina era só mais uma entre tantas viciadas que viviam na Cracolândia, região de São Paulo que concentra um grande número de viciados em diversos tipos de drogas, especialmente o crack. O seu estado era deplorável, de total abandono, até que alguém lhe enxergou no meio da escuridão.

A vida de Silvia Regina mudou e ela ficou conhecida após uma reportagem em 2017, no Fantástico (Globo), depois de ter sido acolhida pelo projeto “Cristolândia”, mantido pela Convenção Batista Brasileira (Igreja Batista).

Silvia Regina, a "Bruxa da Cracolândia".
Reprodução: Google

“O caos social provocado pelas drogas têm destruído famílias. É nesse cenário que a Cristolândia se insere, trazendo a possibilidade de recomeços. A Cristolândia é uma porta de entrada para usuários de drogas que desejam mudar de vida.​ Atendemos em 42 unidades próprias e organizadas em fases em 9 estados brasileiros”, diz o site oficial da organização.

Mudança radical

Hoje aos 63 anos de idade, a ex-Bruxa da Cracolândia concluiu a sua graduação em Missões pelo Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM). Se trata de uma educação voltada para a disseminação da doutrina cristã evangélica, o que torna Silvia uma “Missionária”.

Da Cracolândia para missões: quando Deus restaura e tudo muda
Silvia Regina entre os formandos em Missões. Reprodução: Google

“Obrigada a você, que investiu em mim e investe em mais pessoas. Estou muito feliz. Jesus está aqui comigo; na hora que Ele entrou no meu coração, tudo mudou, até um diploma eu ganhei!”, disse ela ao concluir seus estudos. A cerimônia foi transmitida nas redes sociais da Junta de Missões Nacionais, órgão que também pertence à Igreja Batista.

“Deus é maravilhoso. Vou fazer o Ide de Jesus”, disse Silvia, segundo informações da Missões Nacionais. “Silvia agora se prepara para escrever mais um capítulo de sua história, que tem como autor Deus, aquele que é capaz de tudo. Louvado seja Deus!”, diz a organização. Assista a reportagem abaixo:

Se pode vacina obrigatória, então pode internação compulsória para usuário de droga?