Após novo reajuste, Bolsonaro sugere a existência de “fraude” na Petrobrás

Após um novo reajuste na casa dos 5% na política de preço dos combustíveis da Petrobrás, o presidente Jair Bolsonaro voltou a comentar criticamente sobre a atual gestão da estatal, sugerindo até mesmo a existência de “fraude” na empresa, atualmente  sob o comando de Castello Branco.

“Gostaram do aumento da gasolina novamente, amanhã?”, perguntou o Bolsonaro a seus apoiadores, de forma irônica. “O presidente [da Petrobras] só sai no dia 20 [de março]. Não quer dizer que o outro vá interferir, para o pessoal do mercado falar besteira, ou melhor especular.”

“Mas tem como atacar outras áreas, como fraude, batismo, preço abusivo, para diminuir o preço. Porque dois anos em que ele esteve lá, e nada disso foi levado em conta. [Precisamos] Buscar maneiras de termos mais refinarias no Brasil. Sei que demora, mas temos que começar”, completou o presidente, segundo o UOL.

Em outras palavras, Bolsonaro deixou claro que o novo presidente, Joaquim Silva e Luna, não vai interferir diretamente na política de preços da empresa, mas que poderá atuar indiretamente sobre ela ao combater possíveis fraudes e abusos internos. É a primeira vez que o líder do Executivo levanta essa suspeita publicamente, ainda que de forma indireta.

Em outra ocasião, o presidente chegou a dizer que os preços dos combustíveis são alvos de exploração comercial mediante cartéis. “São cartéis, cartéis poderosíssimos com dinheiro, com bilhões, contra mim. Alguns, que eu fico chateado pela ignorância, apontam: tem que resolver. Só com fuzil na mão”, afirmou. Veja abaixo:

“São cartéis poderosíssimos contra mim”, diz Bolsonaro sobre aumento dos preços