Aras pede ao STF inquérito contra Joice e deputada rebate: “Boneco de ventríloquo”

A deputada Joice Hasselmann informou que o Procurador Geral da República, Augusto Aras, pediu na segunda-feira (28) ao Supremo Tribunal Federal (STF) à abertura de um inquérito contra ela, aparentemente para apurar denúncias feitas pela Rede Record sobre o suposto uso de funcionários para a criação de perfis falsos nas redes sociais.

Em outubro, a Record divulgou áudios em que Joice estaria pedindo ajuda a funcionários para criar tais perfis, a fim de serem usados para atacar adversários políticos. A denúncia também foi repercutida pela CNN Brasil.

Na gravação divulgada pela emissora, a deputada diz: “Acabei de chegar em São Paulo, cheguei há pouco para algumas entrevistas, mas podia falar com a turma aí para fazer vários perfis e entrar de sola no Twitter especialmente, Instagram, porque eles estão botando todas as milícias lá e os robôs em cima de mim”.

Para Joice, no entanto, a denúncia dos ex-funcionários seria falsa. Ela rebateu tais acusações e criticou o procurador da República.

“É evidente que o Aras está sendo boneco de ventríloquo do Palácio do Planalto, em função da minha candidatura à Prefeitura de SP. Beira a criminalidade o uso da mais alta instância do MP como instrumento político de perseguição com escancarada subserviência ao Executivo”, disse Joice no Twitter.

“A Lava Jato, tão atacada por esse sujeito, que o diga. Isso sim é falsidade ideológica, quando um PGR vira papagaio de pirata presidencial. O MP não merece um ‘chefe’ desses e a lei do abuso de autoridade será invocada”, completou a parlamentar, segundo o Congresso em Foco.

A CNN Brasil informou que em seu pedido de abertura de inquérito, Aras deseja investigar a possibilidade de quatro crimes: constrangimento ilegal, difamação, falsidade ideológica e associação criminosa.

Joice indica ser contra a proposta da Renda Cidadã: “Não passa no Congresso”