Casal que torturou e esquartejou Rhuan Maycon é condenado a 129 anos de prisão

Mais de um ano após o assassinato brutal do menino Rhuan Maycon, de apenas 9 anos, finalmente o casal de mulheres responsável pela tortura e esquartejamento da criança, incluindo a própria mãe, foi condenado a 129 anos de prisão na soma nas penas [relembre o caso aqui].

A decisão foi tomada pelo Tribunal do Júri de Samambaia, no Distrito Federal. Foram condenadas Rosana Auri da Silva Cândido e Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa pelo assassinato de Rhuan em 31 de maio de 2019.

O crime bárbaro que chocou o Brasil, mas teve boa parte dos seus detalhes abafados pela grande imprensa, teve o seu desfecho nesta quarta-feira (25), segundo informações do G1. As penas foram fixadas em:

  • Rosana Auri da Silva Cândido, mãe do menino: 65 anos de reclusão e 8 meses e 10 dias de detenção
  • Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa, companheira de Rosana: 64 anos de reclusão, além de 8 meses e 10 dias de detenção.

Rhuan Maycon sofria torturas físicas e psicológicas das duas mulheres, incluindo a própria mãe. Ele teve o seu órgão genital mutilado e o seu corpo esquartejado. Partes do cadáver da criança foram encontradas dentro de uma mala. Para entender o caso em detalhes, leia:

Torturado e esquartejado, ele não se chamava “Marielle” – Era só um menino de 9 anos