Bebê de 2 meses sofre abuso sexual, espancamento e morre; pai de 21 anos é o suspeito

Alguns crimes são difíceis de noticiar e comentar, dado a natureza extremamente brutal e desumana do fato. Exemplo disso é o caso de um bebê de apenas 2 meses que sofreu abuso sexual e espancamento, vindo a morrer em seguida. O suspeito? O próprio pai!

O crime bárbaro ocorreu na segunda-feira (31) em Maceió, Alagoas. Alan Barbosa, chefe de serviço da Delegacia da Criança e do Adolescente, contou como o fato foi descoberto através de uma vizinha do agressor.

“A vizinha contou que ouviu um choro muito alto e que nunca tinha ouvido uma criança gritar e chorar dessa maneira. Ela informou que encontrou o pai, e ele disse que o bebê tinha caído. A vizinha não acreditou e saiu com a criança no braço para a unidade de saúde, mas ela já estava morta”, disse ele ao G1.

A mãe da criança não estava no momento da morte do filho. Ela tem apenas 13 anos e prestou depoimento nesta terça-feira na Delegacia de Crimes contra a Criança e o Adolescente. Por causa da idade da adolescente, a Polícia também suspeita que ela tenha sofrido estupro.

“Além do crime contra o bebê, ele também vai responder por estupro de vulnerável pelo crime cometido contra a mãe, que é menor de idade e configura-se o crime”, disse o conselheiro tutelar Celso Dioclécio, que acompanha o caso.

“Foi uma cena bem triste de se ver. O bebezinho estava muito machucado, com vários hematomas. Eu que sou pai, me chocou muito. Os policiais ficaram estarrecidos com tamanha crueldade”, afirmou o conselheiro.

O elemento de 21 anos que matou o próprio filho já foi preso e negou ter estuprado a criança. Segundo o G1, no entanto, a Polícia confirmou que ele lavou o colchão depois do crime, indicando que possivelmente tentou apagar evidências da violência sexual.

“Ele disse que perdeu a cabeça com o bebê, mas não disse o porquê e nem confessou o estupro”, disse o delegado do caso.

VÍDEO: mulher sofre tentativa de estupro à luz do dia enquanto público decide filmar