Bloqueado em Uganda, Twitter agora reclama de censura: ‘Viola direitos humanos’

Vejam que interessante! O Twitter, que na semana passada baniu permanentemente a conta do presidente Donald Trump, com cerca de 88 milhões de seguidores, agora se manifesta contra o bloqueio da sua plataforma em Uganda alegando violação de “direitos humanos”.

Conforme o Opinião Crítica noticiou recentemente, não apenas o Twitter, mas diversas mídias sociais foram bloqueadas pelo governo de Uganda, após contas pró-governo serem derrubadas, por exemplo, pelo Facebook, restando poucos dias para a eleição presidencial no país.

O Twitter, uma das mídias acusadas de derrubar perfis pró-governo, criticou o bloqueio nacional determinado pelo atual presidente de Uganda, Yoweri Museveni.

“Antes da eleição de Uganda, estamos ouvindo relatos de que os provedores de serviços de Internet estão sendo obrigados a bloquear a mídia social e aplicativos de mensagens”, disse um tweet da conta da Equipe de Política Global do Twitter, segundo o WND.