EUA avalia risco à “segurança nacional” por suspeita de espionagem do Tik Tok

Os Estados Unidos suspeitam que aplicativos como o TikTok e WeChat sejam utilizados como fachada para a espionagem do governo comunista da China. Uma autoridade da Casa Branca informou na última quarta-feira (15) que o governo Trump estuda adotar medidas contra essas empresas nas próximas semanas.

“Existem vários funcionários da administração que estão analisando o risco de segurança nacional no que diz respeito ao TikTok, WeChat e outros aplicativos com potencial de exposição à segurança nacional, especificamente no que se refere à coleta de informações sobre cidadãos americanos por um adversário estrangeiro”, disse o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, a repórteres a caminho da Geórgia para Washington, segundo a Reuters.

“Não sei se há prazo auto-imposto em termos de ação, mas diria que estamos analisando semanas, não meses”, acrescentou.

A TikTok, por outro lado, empresa chinesa cujo aplicativo se tornou uma febre no mundo inteiro nos últimos meses, negou que utilizasse os dados dos usuários para fins ilegais. 

“A TikTok tem um CEO americano, um diretor de segurança da informação com décadas de experiência militar e policial nos Estados Unidos e uma equipe crescente nos EUA que trabalha diligentemente para desenvolver a melhor infraestrutura de segurança da categoria. Os dados do usuário do TikTok US são armazenados na Virgínia e Cingapura, com controles rigorosos no acesso dos funcionários. Esses são os fatos”, afirmou um comunicado.

O WeChat, por sua vez, é um aplicativo de bate-papo de propriedade da Tencent Holdings Ltd, um grupo chinês de jogos e mídias sociais. Esta empresa foi menos criticada, mas está na lista de suspeitas da Casa Branca.

Índia também reage

Assim como os Estados Unidos, a Índia também reagiu à suspeita de que o Tik Tok seja um aplicativo espião disfarçado. O país chegou a proibir o uso do mesmo em território nacional, assim como o WeChat, segundo informações da Exame.

“Em nota, o Ministério da Tecnologia da Informação disse que os apps eram ‘prejudiciais à soberania e integridade da Índia, defesa da Índia, segurança do estado e ordem pública’. O Ministério diz ainda que recebeu ‘muitas reclamações de fontes variadas’ sobre apps que estariam ‘transmitindo informações de usuários’ sem sua autorização”, informou o editorial.