“Ninguém pode obrigar um adulto a se vacinar”, diz Janaína ao criticar a imprensa

A deputada estadual e jurista Janaína Paschoal, professora de Direito da Universidade de São Paulo (USP), criticou a “mistura que a Imprensa está fazendo” sobre o possível julgamento no Supremo Tribunal Federal acerca da vacinação obrigatória.

Para a deputada, a obrigatoriedade de vacinas já consagradas na saúde, como contra a poliomielite, especificamente voltada para crianças, não se confunde com as vacinas que estão sendo desenvolvidas para o tratamento do novo coronavírus.

“Estou preocupada com a mistura que a Imprensa está fazendo. O STF vai tratar da vacinação de crianças, em especial daquelas vacinas que já estão consagradas, até mesmo por erradicar doenças graves como a polio!”, escreveu Janaína em sua rede social.

“Concernente às vacinas contrárias à COVID, todas ainda em testes e voltadas aos adultos, principal grupo de risco! Ninguém pode obrigar um adulto a se vacinar! Trata-se de regra básica de Direito. Essa briga toda é estéril! Muito tempo perdido para nada”, destacou a deputada.

Por fim, Janaína afirma que a questão das vacinas contra a Covid-19 nem deveria estar sendo levada a juízo, visto que todas estão em fase experimental.

“Terminem os testes e disponibilizem para quem quer, serão muitos! O risco que corremos é o de decisões bastante circunscritas do STF virem a ser instrumentalizadas para fins diversos! Respeitosamente, penso que esse nem seria o momento de avaliar tal questão”, conclui.

Bolsonaro cita as Forças Armadas e destaca: “Prontas para garantir nossa liberdade”