A privatização dos Correios já está em andamento, segundo o seu presidente

Considerada uma das estatais mais mal avaliadas pela população em termos de qualidade de serviço, os Correios poderá sofrer uma grande reviravolta com a sua privatização, algo que já está em andamento segundo o presidente da entidade, general Floriano Peixoto.

Segundo Peixoto, não faltará empresas privadas interessadas em adquirir a estatal, tais como à Amazon e a Magazine Luíza, que segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, já manifestaram o interesse de adquirir a empresa, informou o InfoMoney.

“Já tem cinco players interessados. A Magalu (MGLU3) é um deles. O Amazon, a DHL, Fedex… já tem pessoas, grupos interessados na aquisição dos Correios. E isso aí é importante. Nós não teremos um processo de privatização vazio”, afirmou o ministro

Peixoto, por sua vez, explicou que a presença dos correios com unidades em todo o território nacional facilita a sua desestatização, uma vez que já existe uma infraestrutura logística. Em outros termos, significa que a empresa que adquirir precisará apenas aperfeiçoar o serviço, imprimindo a própria forma de gestão.

“A capilaridade da estatal é seu maior ativo: estar presente em todo o território nacional é uma vantagem de poucas instituições. Isso se torna mais relevante quando consideramos as medidas de racionalização da carteira imobiliária que foram tomadas recentemente, o que certamente reduzirá as despesas com manutenção que perduravam até pouco tempo”, disse ele.

Ainda segundo Peixoto, o governo está elaborando um projeto de lei sobre a privatização dos Correios, o qual deverá ser enviado ao Congresso para aprovação. A expectativa é que os parlamentares atendam o que parece ser o desejo da maioria da população.