Aras diz que acervo da Lava Jato poderá ampliar a operação “para todo o Brasil”

O Procurador Geral da República, Augusto Aras, afirmou que a quantidade de material encontrado no acervo da operação Lava Jato em Curitiba é suficiente para ampliar a força-tarefa para todo o Brasil.

“Durante a crise com os procuradores de Curitiba, alguns senadores do Nordeste me perguntaram: ‘Doutor, por que não tem Lava-Jato no Nordeste?’. Olha, a resposta é muito simples: Curitiba concentrou 1 petabyte de dados que, se fossem compartilhados, teria Lava-Jato em todo o Brasil, porque essas informações nunca foram enviadas a estados como Ceará, Bahia Pernambuco…”, disse ele durante entrevista para a Veja.

A fala de Aras soa como uma crítica aos procuradores da força-tarefa, no sentido de que a Lava Jato estaria deixando de atuar em outros estados por estra sendo concentrada apenas em regiões específicas do país.

“Precisamos preservar a unidade da instituição para que os nossos bancos de dados sirvam para todo o Brasil e estejam disponíveis para todos os membros da instituição. Isso é fundamental para que a Lava-Jato não fique apenas em Curitiba, São Paulo e no Rio de Janeiro, mas que se estenda para todo o Brasil, como sempre defendi”, defendeu.