Bolsonaro ironiza o MP sobre caso de relojoeiro: “Pode fumar crack, menos trabalhar”

Em sua última live pelo Facebook, o presidente Jair Bolsonaro criticou uma notificação emitida pelo Ministério Público do Trabalho para um relojoeiro que elogiou o trabalho de um menino de 10 anos, como engraxate, para ajudar na renda familiar.

A criança entrou na loja do comerciante, identificado como Paulo Cézar da Silva, pouco antes do Dia dos Pais, para comprar um relógio de presente para o seu pai. Comovido, o empresário devolveu o dinheiro pago pelo menino e deu de presente o relógio.

Na gravação, mostra o momento em que Paulo elogia o menino por seu esforço: “Continue trabalhando, que Deus tem um projeto na sua vida, que Deus vai te fazer um grande homem, e que o trabalho dignifica”.

Com a repercussão do vídeo, o Ministério Público do Trabalho interpretou a situação como um incentivo ao trabalho infantil e acabou notificando o comerciante, segundo informações do Jornal da Record. Com isso, Paulo precisou assinar um termo de compromisso de conduta, a fim de não ser processado e sofrer punições mais graves.

Ao comentar o caso, o presidente Jair Bolsonaro criticou o MPT e defendeu a liberdade da “molecada” que deseja trabalhar, destacando que ele mesmo já trabalhou como engraxate na infância.

“Deixa o moleque trabalhar, poxa. Eu trabalhei, outro dia eu falei que aprendi a dirigir com 12 anos de idade. A molecada quer trabalhar, trabalha”, afirmou o presidente. Veja o vídeo do relojoeiro e do pequeno engraxate, abaixo: