O Brasil foi “governado mais de vinte anos por uma quadrilha”, diz General Heleno

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do governo Bolsonaro, general Augusto Heleno Pereira, utilizou suas redes sociais para se manifestar em favor do ministro da Justiça, Sérgio Moro, após o mesmo participar voluntariamente de uma sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, na semana passada.

Na ocasião, Moro prestou esclarecimentos sobre a divulgação ilegal de mensagens atribuídas a ele e ao procurador Dallagnol. Por sua vez, o general Heleno demonstrou indignação com o fato, dizendo que houve uma “inversão de valores”, onde o ex-juiz ficou “frente a frente com indiciados e condenados pela Lava Jato”.

Para o general Heleno, a participação de Moro no Senado “foi mais um triste capítulo da História do Brasil. Governado, por mais de vinte anos por uma verdadeira quadrilha, o País foi vítima de um gigantesco desvio de recursos, que envolveu grandes empresas privadas e estatais; fundos de pensão; governantes e políticos (em todos os níveis)”.

“Alguns protagonistas desse criminoso projeto de poder e enriquecimento ilícito participaram, com a cara mais lavada do mundo, dessa inquisição ao Min Sérgio Moro. Uma total inversão de valores colocou um herói nacional, que decidiu enfrentar essa máfia, colocar na cadeia os marginais e recuperar boa parte do que foi subtraído de todos nós, frente a frente com indiciados e condenados pela Lava Jato”, acrescentou o ministro.

Apesar da indignação com o ocorrido, general Heleno destacou a forma como Sérgio Moro lidou com a situação. “O brilhante desempenho do Ministro, colocando seus pretensos detratores no devido lugar, fortaleceu a certeza de que um novo Brasil está surgindo”, disse ele.

“Uma das metas do governo Bolsonaro é resgatar, pelo exemplo, os valores básicos da cidadania. Estamos juntos, brasileiros e brasileiras de bem. Não esmoreçam. Força, coragem e fé. Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, concluiu.