Jornalista compartilha incitação ao suicídio de Bolsonaro; psicóloga reage: “É crime”

No último domingo (10), o jornalista Ricardo Noblat, da revista Veja, compartilhou uma matéria da Folha de S. Paulo escrita por Ruy Castro onde o mesmo faz incitação ao suicídio dos presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro.

Na matéria, Castro apresenta o suicídio como a melhor “saída” para Trump, algo que lhe tornaria “um herói”, chegando a dizer que “como Bolsonaro copia tudo que ele diz e faz, poderia segui-lo também nesse gesto”

“Trump é hoje um perdedor ainda com o dedo no gatilho. Se quiser jogar uma bomba no Irã, dispõe dos códigos necessários. A esperança é que esteja tão deprimido que não reúna forças nem para se olhar ao espelho. Pois, se for o caso, Trump teria uma saída capaz de fazer dele um herói, um mártir, um ícone eterno para seus seguidores idiotizados. Matar-se“, diz um trecho do artigo.

O texto continua: “Se Trump optar pelo suicídio, Bolsonaro deveria imitá-lo. Mas para que esperar pela derrota na eleição? Por que não fazer isso hoje, já, agora, neste momento? Para o bem do Brasil, nenhum minuto sem Bolsonaro será cedo demais.”

O trecho acima foi compartilhado por Ricardo Noblat em sua conta no Twitter. A postagem foi excluída pela plataforma após denúncias de usuários, uma vez que a incitação ao suicídio viola as diretrizes da empresa.

Jornalista incentiva o suicídio do presidente Jair Bolsonaro.

Marisa Lobo repudia publicação

A matéria e o compartilhamento dela por Ricardo Noblat, especialmente o trecho em que o autor incentiva o suicídio do presidente brasileiro, causou forte reação entre algumas autoridades e também fez com que a psicóloga Marisa Lobo reagisse, citando o Art. 122 do Código Penal Brasileiro, o qual tipifica como crime esse tipo de prática.

“Como psicóloga que luta contra suicídio em todo Brasil, escritora sobre o tema, REPUDIO viemente (sic) sua incitação ao suicídio @BlogdoNoblat pois é covarde e criminosa. Sr. @alexandre e se fosse falando do senhor? É crime e da cadeia, (reclusão de 6 meses a 2 anos)”, afirmou Marisa.

“É inadmissível que a justiça, a mídia, perca totalmente a ética, a moral, sendo dominada pelo ódio e o oportunismo. Se acha que pode incentivar, promover o suicídio sem que seja penalizado @BlogdoNoblat então vamos lutar pela pena de morte, mundo bárbaro”, completou Marisa.

PF é acionada pela Justiça

O ministro da Justiça, André Mendonça, anunciou que pediu a abertura de um inquérito na Polícia Federal para investigar os dois jornalistas, citando o Art. 122 como fundamento. “As penas de até 2 anos poderão ser duplicadas”, afirmou ele em sua rede social.

A ministra dos Direitos Humanos, Damares Alves, também reagiu e pediu o cancelamento da conta de Noblat no Twitter.

“Se a conta deste indivíduo não for encerrada agora, imediatamente, vai ficar feio para o Twitter e saberemos que existem dois pesos e duas medidas. Além do mais, incitar o suicídio é crime. Vamos aguardar!”, afirmou a ministra.