Feliciano chama Dória de “oportunista profissional” e “abjeto traidor” de Bolsonaro

O deputado federal Marco Feliciano reagiu às declarações do governador de São Paulo, João Dória, dadas durante uma entrevista para o jornal Folha de São Paulo no último dia 12. Na ocasião, Dória disse que Bolsonaro estaria governando o Brasil com “ódio”, fazendo duras críticas à gestão do presidente da República.

“É preciso governar o Brasil, não a Aliança [partido que Bolsonaro pretende criar], ou para os que lhe são simpáticos e lhe adulam”, afirmou Dória. “O Brasil não pode ser governado com ódio”, destacou em outro momento.

Para Dória, Bolsonaro criou um clima de separação entre ele e os governadores dos estados, se destacando na lista o próprio governador de São Paulo e Wilson Witzel, do Rio de Janeiro. 

“Os ataques do presidente Bolsonaro aos governadores e a forma desrespeitosa com que ele se dirigiu a alguns deles, entre os quais o Rui Costa [PT-BA], o Camilo Santana [PT-CE] e Wilson Witzel [PSC-RJ] e a mim mesmo, demonstram o desprezo dele pelo pacto federativo e a falta de compromisso democrático de governar com todos”, disse Dória.

“Para quem disse repetidas vezes “Menos Brasília, mais Brasil”, ele está fazendo exatamente o inverso. Muito de Brasília, nada de Brasil. O resultado disso é que os governadores do Brasil nunca estiveram tão unidos”, completou.

Para Marco Feliciano, no entanto, o discurso de João Dória – cotado para ser candidato à presidência em 2022 – não passa de mero oportunismo político diante dos conflitos travados entre o Planalto e o Congresso, especialmente no contexto de crise na saúde devido ao novo coronavírus.

“O governador de SP, o ABJETO TRAÍDOR João Doria @jdoriajr, não respeita nem pandemia! OPORTUNISTA PROFISSIONAL que é, Doria tenta politizar a crise de saúde pública para tentar atingir o Pres. @jairbolsonaro [sic]”, afirmou Feliciano.