“Como governante e médico, vou colocar a vida das pessoas em 1° lugar”, diz Caiado

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), não reagiu favorável aos protestos pró-governo Bolsonaro que ocorreram no último domingo, 15. A preocupação do político, que também é médico, com o novo coronavírus, terminou falando mais alto do que o apoio que ele mesmo vem prestando ao presidente durante o seu mandato.

Diante dos manifestantes, Caiado foi até a Praça Cívica do seu estado falar ao microfone, fez elogios ao presidente Bolsonaro, mas em seguida criticou a aglomeração de pessoas no local. “Isso aqui é um absurdo. Vocês precisam de ter noção de seriedade. Não se mostra apoio ao governo colocando em risco a sua população. Não sejam irresponsáveis”, disse o governador.

Caiado foi vaiado pelos manifestantes, mas o governador não se deixou intimidar e continuou alertando os presentes sobre o risco da doença. “Se o seu filho ficar doente, você vai me procurar como médico”, afirmou. Através das suas redes sociais, horas depois do embate com os manifestantes, ele comentou:

“Meu dever é preservar a integridade e a saúde dos goianos. Sempre fui contra a esquerda e sou o primeiro a bater no peito e a defender o direito das pessoas de se manifestarem contra o que não concordam. Mas, como governante e médico, vou colocar a vida das pessoas em 1º lugar!”, afirmou.