Bolsonaro para Maia e Alcolumbre: “Saiam às ruas e vejam como vocês são recebidos”

O presidente Jair Bolsonaro concedeu a sua primeira entrevista para a rede de TV CNN Brasil, que estreou no país no último domingo, 15, dia que foi chamado pelos apoiadores do Planalto de “Bolsonaro Day”, em referencia as manifestações que ocorreram em vários estados em apoio ao governo.

Questionado sobre a manifestação, Bolsonaro esclareceu que não foi o responsável pela convocação dos atos, e que chegou a fazer um pedido, na quinta-feira 12, para que os populares adiassem os protestos devido aos riscos do novo coronavírus.

“Alguns irresponsavelmente querem colocar a culpa em mim por esse movimento agora”, afirmou o presidente, argumentando que independentemente dos protestos, “muitos vão pegar isso independente de tomarem todos os cuidados”, e que tomou suas próprias medidas de cuidado contra o vírus.

Questionado sobre as críticas que recebeu do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do Senado, David Alcolumbre, Bolsonaro se defendeu afirmando que como presidente da República apenas quis estar perto do povo. Bolsonaro aproveitou para fazer um desafio aos parlamentares, chamando-os para ir às ruas para ver “como são recebidos”.

“Eu gostaria que eles saíssem às ruas como eu”, disse Bolsonaro. “Nós, políticos, temos responsabilidade e devemos ser quase que escravos da vontade popular. Saiam às ruas. Eu respeito os parlamentares, não tenho problemas com eles. Estão fazendo suas críticas, estou tranquilo no tocante a isso. Espero que eles não queiram partir para algo perigoso depois dessas minhas palavras aqui”, finalizou.

Mais cedo, Maia havia criticado Bolsonaro por causa das manifestações. “O que nos preocupa, o que nos deixa em perplexidade é o presidente participando desses atos. Num momento onde se pediu, na sexta-feira, que não houvesse aglomerações, o próprio presidente desautoriza o seu ministro da Saúde”, declarou à TV Globo.

“Nós temos o risco de estar vivendo a maior crise, né, que o Brasil viveu nos últimos cem anos. Com impacto na vida dos brasileiros, na saúde dos brasileiros, no emprego, na renda, aumento da pobreza. E nós temos um presidente que estimula manifestações contra outras instituições”, completou o parlamentar. Assista a entrevista de Bolsonaro para a CNN abaixo: