[Vídeo] Irmão de Ciro Gomes lança veículo sobre policiais e recebe tiros de arma de fogo

Uma cena lamentável ocorreu na tarde desta quarta-feira (19) na cidade de Sobral, no Ceará, quando o irmão do ex-presidenciável Ciro Gomes, o senador Cid Gomes (PDT-CE) foi atingido por balas de borracha de arma de fogo ao tentar invadir um batalhão em meio a protesto de policiais militares.

Informações divulgadas pela assessoria do senador deram conta que os tiros disparados, na verdade, foram de munição letal. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o momento em que um homem não identificado saca a arma e dispara contra o senador.

Cid Gomes foi atingido por um tiro no tórax e também ferido no supercílio, segundo a equipe do político, mas está fora de risco e será encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia de Sobral.

Na ocasião, Gomes tentou furar um bloqueio de policiais que faziam uma manifestação em prol de aumento salarial. O senador pilotava uma retroescavadeira e em dado momento lançou o veículo contra os policiais, quando foi alvejado.

Ciro Gomes, irmão do senador, comentou o caso através das suas redes sociais. “Meu irmão foi vítima de dois tiros de arma de fogo por parte de policiais militares amotinados e mascarados em Sobral, nossa cidade”, escreveu. “Até aqui as informações médicas são de que as balas não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo.”.

Abuso de autoridade?

Segundo informações do G1, o Senador Cid Gomes determinou que os policiais terminassem a manifestação “em cinco minutos”, o que pode ter revoltado o grupo de manifestantes, já que a livre manifestação de uma categoria profissional está prevista em lei. Resta saber se o ato ocorreu de forma regular ou ilegal.

“Vocês têm cinco minutos pra pegarem os seus parentes, as suas esposas e seus filhos e sair daqui em paz. Cinco minutos. Nem um a mais”, afirmou Cid, utilizando um megafone.

Em todo caso, assim como a atitude de um Senador da República lançar um veículo sobre os manifestantes é algo inaceitável e pode lhe render a cassação por abuso de autoridade, o disparo com arma de fogo contra Gomes, se confirmado, também é uma ocorrência gravíssima e deve ser devidamente apurada.