Deltan rebate punição e diz que criticou um “sistema de justiça que não funciona”

O procurador nacional da operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, se manifestou nesta terça-feira (26) após saber que foi punido pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por fazer críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal em 2018, acusando a segunda turma da Corte de ser “leniente com a corrupção”.

“A advertência aplicada a mim pelo CNMP hoje por ter criticado decisões de ministros do Supremo, exercendo o direito à liberdade de expressão e crítica, não reflete o apreço que tenho pelas Instituições”, escreveu Dallagnol em suas redes sociais, justificando a sua crítica na sequência:

“Minha manifestação decorre de um sistema de justiça que não funciona, em regra, contra poderosos, e é na omissão e no silêncio que a injustiça se fortalece. O debate dos problemas de nosso sistema é essencial”, completou o procurador.

Por fim, Dallagnol mostrou firmeza e coragem ao reiterar o seu compromisso com o combate à corrupção e agradeceu o apoio que vem recebendo da população.

“Continuarei trabalhando para fazer a minha parte em reduzir a corrupção e a impunidade. Agradeço por todas as mensagens de apoio que estou recebendo. Significam muito pra mim”, concluiu.