Bolsonaro: o ‘patinho feio’ da reunião do G20 que faz surtar a esquerda mundial

Quem nunca ouviu a história do patinho feio? Apesar de um conto, a história possui um fundo de verdade e aplicação na vida real. A participação do presidente brasileiro Jair Bolsonaro no encontro das 20 nações economicamente mais poderosas do mundo, o G20, ocorrido este ano na Itália, nos faz lembrar disso. A ênfase aqui, contudo, não está na expectativa futura do atual chefe do Executivo, mas na sua condição atual perante os líderes globais.

Isso porque, Bolsonaro atualmente é, de fato, o ‘patinho feio’ do cenário político mundial. É possível dizer que esse posto, antes, pertencia ao ex-presidente Donald Trump, mas com a sua derrota eleitoral no pleito de 2020, quem acabou assumindo a cadeira foi o líder brasileiro, e isto por vários motivos.

Entre os tais motivos está o fato do Brasil ser o ‘celeiro do mundo’ no quesito agricultura, o que atualmente lhe confere o posto de uma das 14 maiores economias globais, sendo a maior disparada na América Latina e a 9° maior potência militar do planeta, segundo uma publicação do ranking do conceituado portal de análise Global Firepower este ano.

Em outras palavras, no quesito direita e conservadorismo, atualmente não existe outro país além dos Estados Unidos capaz de fazer jus ao Brasil quanto ao papel de liderança global, motivo pelo qual Bolsonaro está em uma posição de destaque. Contudo, essa posição também lhe coloca em evidência quando o objetivo é o assassinato de reputações.

É justamente isso o que vem fazendo a maior parte da mídia brasileira e internacional, motivo pelo qual Bolsonaro tem sido retratado como alguém “isolado” na reunião do G20. Porém, não se trata de isolamento, mas de inadequação em relação às pautas e ao perfil político, aparentemente, da maioria dos líderes globais.

Do ponto de vista prático, esse é um fator positivo, pois indica que o líder brasileiro, realmente, é fiel aos próprios ideais, não estando interessado em agradar uma maioria apenas para construir uma ‘boa’ imagem, muito embora desagrade do ponto de vista midiático.

Na Itália, Bolsonaro prestigia artista de rua e populares se juntam para  tirar fotos - Tribuna de Brasília - Notícias do DF e do Brasil a um clique
Bolsonaro prestigiando artista de rua, na Itália, em viagem para o encontro do G20. Foto: reprodução

O fato é que Bolsonaro, sendo o ‘patinho feio’ do G20, parece estar muito mais preocupado em ser fiel aos ideais e necessidades do Brasil, do que com os holofotes, motivo pelo qual prefere dar mais atenção a um artista de rua, por exemplo, do que a um chefe de Estado.

Se o presidente vai se transformar em um cisne no futuro, não sabemos. Contudo, o patinho que hoje ele já é, parece melhor do que muitos que estão mais preocupados em ‘posar’ usando máscaras do que em agir de acordo com o que realmente são e acreditam.