A saída para a direita contra a censura é o apoio às mídias alternativas

Desde o banimento das contas do presidente Donald Trump do Twitter, Facebook e Instagram, uma reação mundial em cadeia de simpatizantes do governante em prol de mídias alternativas voltou a ganhar força, mas será que ela será suficiente para vencer a onda de censura a direita e aos conservadores?

Vários internautas reclamaram nas últimas 24h de terem perdido seguidores de forma inexplicável em suas contas. Bloqueios, limites do alcance de páginas e até mesmo a exclusão de perfis considerados “extremistas” provocaram uma migração considerável para redes sociais como o Parler e, no Brasil, a Conservative Core.

Diante da força que tais ferramentas vem ganhando, algumas das gigantes de tecnologia, como o Google, Apple e Amazon resolveram alegar que o Parler, por exemplo, estaria violando algumas das suas políticas por não oferecer ferramentas de moderação de conteúdos, o que justificaria a exclusão dessa empresa das suas plataformas.

O fato, porém, mostra o quanto o mundo digital se tornou refém das gigantes de tecnologia, levantando a preocupação sobre a falta de liberdade de expressão, a qual é restrita muitas vezes sob a alegação de conteúdos “impróprios”, “desinformação” ou “discurso de ódio”.

A saída: mídias alternativas

Com este cenário desenhado, não resta dúvida de que a melhor saída – pelo menos a mais imediata – contra a censura aos conservadores e à direita na internet é a união em prol das mídias alternativas, como a brasileira Conservative Core, que se assemelha ao Twitter, mas promete privacidade e liberdade de comunicação.

Outra saída, porém mais demorada, é a implementação de medidas judiciais (leis) capazes de limitar o poder moderador das empresas de tecnologia, de modo que elas também possam ser responsabilizadas por medidas que possam ser consideradas autoritárias.

Entretanto, o apoio aos veículos alternativos, desde redes sociais como o Parler e o Conservative, como de comunicação, a exemplo do Opinião Crítica, é a reação mais urgente a ser feita. Para tanto, compartilhar conteúdos, se inscrever, curtir, seguir e consumir suas postagens é a melhor forma de fazer isso.

Se você concorda com essa visão, não basta ler o texto. Compartilhando nossas matérias você ajuda em nosso financiamento, nos mantendo no ar e incentivando o nosso trabalho. Faça o mesmo com outros veículos que prezam pela liberdade de expressão e pela democracia – verdadeira!