A culpa é das igrejas?

“Felizes os perseguidos por causa da justiça, pois o reino dos céus lhes pertence”. (Mateus 5:10) – 13.445.006 de contaminados! Destes, 11.838.564 foram curados, uma taxa de 88,05%. O numero de doentes sendo acompanhados é de 1.255.108, uma taxa de 9,34%.

Infelizmente já perdemos 351.334 por óbitos confirmados como sendo por Covid-19, uma taxa de letalidade de 2,61%, abaixo da esperada que em tese seria de 3,5%. Esse 0,9% de diferença significaria cerca de 120.000 óbitos a mais.

O Brasil possui dimensões continentais com cerca de 210.000.000 de habitantes, sendo que 84% vivem em áreas urbanas. 6% vivem em favelas, que desde 2010 passaram a serem denominadas pelo IBGE de “aglomerados subnormais”. No Brasil 44,3% da população usa transporte coletivo. Na região sudeste o percentual chega a 50,7%.

Em 2019 o número de trabalhadores informais era de 41,6%, esse pessoal não pode parar de trabalhar. Em resumo: lockdown no Brasil não funciona.

Levando em consideração a realidade do Brasil, com todo respeito aos mortos, estamos vencendo a pandemia. Porem, a narrativa promovida por uma mídia de viés ideológico de esquerda, em sua leviana militância de oposição ao governo federal, é buscar culpados.

E, apesar da determinação do STF que deu aos estados e municípios a prerrogativa de decisões, a culpa é do governo federal? Se o estado de São Paulo, onde o governo federal não tem ingerência, fosse um pais, estaria ocupando o 11º lugar no ranking mundial. Em janeiro de 2021 São Paulo teve uma média de 1.137 mortes por milhão de habitantes, ante 973 do Brasil. De quem é a culpa? Das igrejas?

Igrejas e pandemia no Brasil

Existe no Brasil uma narrativa falaciosa de que igrejas se tornaram vetores de propagação do vírus. Isso logo após por manobra do STF, Lula, o condenado que não provou a sua inocência, e não é um homem livre, mas foi livrado pelo STF, como bem explicou o Caio Coppola. Com a vergonhosa anulação de todo o processo. E que já estava solto porque o Gilmar Mendes que em 2016 votou pela prisão em 2ª instancia, resolveu mudar o seu entendimento, para soltar condenados.

Lula, que em seu primeiro discurso fez uma declaração, que foi uma senha para a militância: ”Muitas mortes poderiam ter sido evitadas, muitas mortes. E que o papel das igrejas é ajudar para orientar as pessoas, não é vender grão de feijão ou fazer culto cheio de gente sem máscara, dizendo que tem o remédio pra sarar.” O que Lula quis insinuar com essa declaração?

Culto cheio de gente sem máscara? Onde? Lula pode ser tudo, corrupto, maquiavélico, mal caráter, mas não é bobo, não pense que foi um ato falho ou uma gafe, o lobo velho sabe o que falou, e o que falou foi um calculo politico muito bem feito, e um recado que ele mandou para a esquerda.

Ele sabe que as igrejas, e aqui se referiu as igrejas evangélicas, foram fundamentais na derrota do PT em 2018. Apesar da esquerda ter alguns “pastores” simpatizantes, com uma presença midiática forte, em termos práticos é um grupo pequeno e insignificante. Hoje a maioria dos evangélicos é contra esquerda. A estratégia é culpar igrejas pela pandemia, fechar igrejas e em tese enfraquecer a influência de lideranças eclesiásticas para 2022. É uma loucura…

É um absurdo! Porem,  a esquerda sempre viveu de suas utopias e golpes socialistas de absurdos. O objetivo é esticar essa pandemia até as eleições de 2022. E mesmo com a vacinação, são vacinas experimentais, liberadas em caráter emergencial de eficácia duvidosa. E a imunidade de rebanho será sabotada pelo “surgimento” de novas cepas.

E a narrativa midiática falaciosa de que o Brasil é o novo epicentro da pandemia por ter um governo “genocida, fascista”. O objetivo é usar a pandemia para influenciar as eleições, assim como ocorreu nos EUA em 2020. A demonização de igrejas evangélicas, como aglomerações que propagam o vírus, o que com 25% de ocupação e medidas restritivas como as definidas pelo ministro do STF Nunes Marques, na ADPF 701. seria algo difícil.

A pandemia é a desculpa para uma perseguição politica religiosa as igrejas evangélicas. Como o eleitorado evangélico é na sua maioria conservador e de viés ideológico de direita. Usar a pandemia para fechar as igrejas evangélicas é uma retaliação ao eleitorado que não é cativo da esquerda. Como o STF foi aparelhado pela esquerda, e é seu capacho, é previsível que o STF vai criar com sofismas, decisões que sigam a orientação do grande líder da esquerda.

A imprensa midiática que faz parte do golpe vai trabalhar para essa narrativa. O brasileiro anda de transporte coletivo com aglomeração a semana toda. Mas ficou doente e morreu por que foi ao culto com 25% de ocupação e severas medidas restritivas?

*O texto acima é de total responsabilidade do seu autor e não representa, necessariamente, a visão do Opinião Crítica.