Trump ameaça cortar verbas da OMS após opinião crítica: “Muito centrada na China”

O presidente do Estados Unidos, Donald Trump, aumentou o tom contra a Organização Mundial de Saúde (OMS) nesta semana, emitindo uma opinião crítica contra à agência das Nações Unidas por ser, segundo ele, “muito centrada na China”.

“A OMS estragou tudo. Por alguma razão, é financiada em grande parte pelos EUA mas é muito centrada na China. Vamos dar uma revisada nisso”, afirmou o presidente. “Vamos suspender o dinheiro gasto na OMS. Vamos meter um forte travão nisso”, completou Trump em outra ocasião ao falar com jornlistas.

A opinião crítica do presidente americano contra a OMS surge em um momento de crise global na área de saúde devido à pandemia do novo coronavírus. Em 2019, o orçamento da organização ficou em cerca de 6000 milhões de dólares.

Apenas os Estados Unidos, segundo informações do New York Times, contribuíram com cerca de 553 milhões. O corte de verbas da OMS, portanto, é um claro recado de Donald Trump sobre às políticas de saúde da organização, onde a principal opinião crítica que pesa é sobre o aparente descaso da entidade com relação ao início da pandemia, na China.

“Eles não viram. Como você não vê isso?”, questionou Trump ao falar da posição da OMS no início da pandemia. “Eles não viram. Eles não denunciaram. Se eles viram, devem ter visto, mas não denunciaram”, afirmou.