Na ONU, Damares abandona reunião em protesto contra representante da Venezuela

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, não deixou passar a oportunidade de expressar a posição do Brasil quanto ao regime ditatorial mantido na Venezuela por Nicolás Maduro. 

Durante uma reunião do Conselho de Direitos Humanos da ONU na última terça-feira, 25, na Suíça, ela e a sua comitiva abandonou o evento, diante de toda a platéia, no exato momento em que o representante de Venezuela começou a discursar.

“Nos retiramos do recinto quando o representante da ditadura de Nicolás Maduro começou a falar. Não daremos palanque a regime ilegítimo e sanguinário”, afirmou a ministra em uma postagem nas suas redes sociais.

“Chega. O povo venezuelano não aguenta mais. As crianças daquele país pedem socorro”, completou Damares. Um dia antes, na segunda, a ministra já havia criticado o regime venezuelano, apontando a situação precária dos imigrantes que chegam ao Brasil.

“Estamos particularmente preocupados com as centenas de crianças que chegam desacompanhadas ao Brasil. Elas precisam de uma perspectiva de vida livre e saudável, algo que lhes foi violentamente retirado pelo regime ilegítimo e autoritário de Nicolás Maduro”, afirmou a ministra, segundo o Terra.

Ao abandonar a reunião, Damares apenas reforçou a posição do governo brasileiro e dezenas de outros países em não reconhecer como presidente da Venezuela o ditador Nicolás Maduro, mas sim Juan Guaidó, o principal nome da oposição naquele país. Assista: