Irmão de George Floyd condena atos de violência: “Minha família é temente a Deus”

Terrence Floyd, irmão de George Floyd, morto por um policial nos Estados Unidos, pediu o fim das manifestações violentas e dos tumultos que eclodiram no país, afirmando que seu irmão não toleraria tais ações e que elas não o trarão de volta.

A declaração de Terrence Floyd foi dada diante de uma multidão reunida em um memorial improvisado, marcando o local da morte de seu irmão. “Minha família é uma família pacífica; minha família é uma família temente a Deus”, disse ele.

“Vamos fazer isso de outra maneira. Vamos parar de pensar que para nós não é importante votar. Vamos mudar, faça isso pacificamente, por favor”, enfatizou.

Floyd fez suas observações ao visitar o local em Powderhorn, um bairro ao sul do centro de Minneapolis, onde George Floyd, 46 anos, morreu em 25 de maio, quando o policial branco Derek Chauvin se ajoelhou em seu pescoço enquanto ele estava algemado no chão.

O vídeo da morte de Floyd, onde ele aparece dizendo “não consigo respirar”, provocou inicialmente protestos pacíficos contra o racismo e a brutalidade policial, mas logo os atos progrediram para motins, vandalismo, incêndio criminoso e assaltos em várias cidades dos Estados Unidos.

Pessoas que eram próximas a George Floyd afirmam que ele não toleraria a violência, uma visão que Terrence Floyd confirmou. O portal brasileiro Gospel Mais também confirmou a versão, dizendo que ele “vivia na cidade de Houston, no Texas, onde atuava como um parceiro dos evangelistas locais e ficou conhecido como uma ‘pessoa de paz'”.

“George Floyd era uma pessoa de paz enviada pelo Senhor que ajudou o evangelho a avançar em um lugar em que nunca morei”, disse Patrick PT Ngwolo, pastor da igreja Ressurreição de Houston, que prestava serviços em Cuney, segundo informações do Christianity Today.

“Eu entendo que todos vocês estejam chateados”, disse seu irmão. “Eu duvido que vocês estejam tão chateados quanto eu. Então, se eu não estou aqui selvagem o suficiente, se eu não estou aqui explodindo coisas, se eu não estou aqui bagunçando minha comunidade, então o que vocês estão fazendo?”

Comentário

Os protestos que hoje ocorrem nos Estados Unidos não tem a ver com George Floyd, muito menos com a questão racial, mas com a causa ideológica da esquerda no país.

A esquerda, por sua vez, atua como um parasita. Ela se aproveita de qualquer circunstância que possa dar vazão aos seus discursos, de modo a desencadear uma série de reações em seu favor. É isso o que está em prática e não a indignação pela morte do bom rapaz.

A prova disso está no fato de que os familiares de Floyd não são ouvidos, mas sim ignorados, pois eles pensam na contramão do que está acontecendo agora no país. Há indignação e tristeza, mas há também bom senso e coerência, o que é incompatível com os ideais da esquerda.

Para a esquerda, quanto maior for o caos, melhor. Quanto maior for o número de narrativas em prol da sua causa (como a racial, por exemplo), melhor. E qual é o resultado disso? Justiça? Não, mas sim a segregação, a fim de enfraquecer a unidade social e favorecer a sua dominação através do controle dos grupos.