Esquerda vandaliza igreja histórica de 1876 no Chile e Lula elogia manifestantes

Os bispos do Chile lamentaram o saque e a queima de uma igreja histórica na capital do país por manifestantes mascarados que também profanaram o tabernáculo, destruíram estátuas religiosas e picharam grafites nas paredes interiores. 

“Somos solidários ao administrador apostólico Mons. Celestino Aós e todos os fiéis da Arquidiocese de Santiago, após o saque e profanação da paróquia da Assunção de Maria. Da mesma forma com as comunidades e pastores de outras igrejas e locais de culto de várias religiões que foram atacados em várias cidades ”, diz um comunicado da Conferência Episcopal Católica do Chile.

Na sexta-feira, um grupo de manifestantes mascarados vestidos de preto e parecendo anarquistas da “antifa” dos Estados Unidos [esquerda] invadiu a igreja paroquial da Assunção de Maria, roubando bancos, confessionários e estátuas religiosas para formar barricadas em sua resistência à polícia.

Grande parte da estatuária religiosa foi destruída e pintada com grafites anticatólicos. A igreja histórica data de 1876. Alguns dos bens da igreja foram usados ​​para construir uma fogueira na vizinha Plaza Italia. Além disso, a sede de uma universidade particular localizada perto da igreja também foi destruída por incendiários.

Lula se inspira no Chile

Os ataques ocorridos no Chile vão muito além de qualquer forma de manifestação popular aceitável em um país democrático, pois se tratam de atos terroristas, onde o uso da força, a intimidação e a violência são as ferramentas usadas para reprimir o contraditório.

Ao sair da prisão, durante discurso no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, Lula deixou evidente qual é o seu lado na história política ao citar os ataques no Chile como exemplo para a esquerda no Brasil. “A gente tem de seguir o exemplo do povo do Chile. A gente tem de atacar”, disse ele, segundo o Diário de Notícias.

O próprio jornal português tratou a fala de Lula como uma declaração de guerra: “Lula declara guerra”, diz a manchete, citando a fala na sequência. Igrejas saqueadas, imagens sacras destruídas, incêndios, depredação do patrimônio público, esse é o “exemplo” que o líder petista deseja seguir no Brasil.

Lula, definitivamente, pode ter saído da prisão, mas a sua índole criminosa não mudou absolutamente nada. Assista: