A lição de Amy que serve ao Brasil: “Juiz deve aplicar o Direito como está escrito”

A escolha do presidente Donald Trump para a Suprema Corte dos Estados Unidos parece ter sido a mais acertada possível. A jurista Amy Coney Barrett, indicada por ele, vem chamando atenção pela precisão das suas declarações.

Em uma delas, Amy deixou claro qual é o papel dos magistrados, uma lição que parece servir perfeitamente para o Brasil, dado o atual contexto de instabilidade jurídica que o país atravessa devido aos constantes comentários políticos dos ministros do STF, incluindo decisões e um inquérito considerado ilegal por muitos.

“Um juiz deve aplicar o Direito como está escrito. Juízes não são formuladores de políticas públicas e devem firmemente deixar de lado as visões que tenham sobre políticas públicas”, afirmou Amy em seu discurso, após a indicação de Trump.

Não é só a visão de Amy sobre a atuação dos magistrados que parece chamar muita atenção, mas também a sua inteligência. Durante sabatina no Senado Americano, após horas de questionamentos e respostas, ela foi perguntada sobre qual seria o material da sua consulta.

Para surpresa de todos, Amy mostrou um bloco de notas em branco (foto de capa)! Isso mesmo, sem qualquer anotação! Ela passou horas oferecendo respostas com dados precisos sem consultar nenhum material. Foi ou não uma escolha e tanto de Trump?