Gleisi quer processar Weintraub por fazer piada com Lula e Dilma em caso de drogas

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, anunciou que a sigla vai entrar com uma representação contra o ministro da Educação do governo Bolsonaro, Abraham Weintraub, após o mesmo fazer uma piada envolvendo os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

Conforme noticiado pelo Opinião Crítica, O ministro da Educação, Abraham Weintraub, também comentou o caso da prisão do segundo-sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, preso em Sevilha, na Espanha, transportando 39 quilos de cocaína em avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Weintraub afirmou que essa não foi a primeira ocorrência, mas aproveitou o contexto para debochar dos ex-presidentes petistas, especificamente do agora presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, ao compará-los com a própria droga.

“Tranquilizo os ‘guerreiros’ do PT e de seus acepipes: o responsável pelos 39 kg de cocaína nada tem a ver com o Governo Bolsonaro. Ele irá para a cadeia e ninguém de nosso lado defenderá o criminoso. Vocês continuam com a exclusividade de serem amigos de traficantes como as FARC [Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia]”, escreveu o ministro, acrescentando em seguida:

“No passado, o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?”, postou Weintraub. A publicação não pegou bem, nem mesmo entre os simpatizantes do governo, que viram a piada como algo incompatível com o cargo ocupado pelo ministro. 

Para a oposição, então, o twitter de Weintraub foi combustível para tempestade:

“O senhor fala dos outros o que o senhor é: uma droga para a educação brasileira”, disse a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, em sessão na Câmara dos Deputados. “Portanto, pode esperar que vamos processá-lo. O senhor responderá a um processo pelo que falou de Lula e Dilma”.

“Vamos entrar com uma representação no Ministério Público e mesmo na Comissão de Ética da Presidência da República, que, embora contaminada, espero que cumpra o seu papel e averigue e julgue o que o senhor falou”, completou, segundo o Congresso em Foco.