“Foi mais fácil cancelar aulas do que o carnaval”, diz jornalista Milton Neves

O jornalista Milton Neves ironizou o cancelamento das atividades sociais por causa do novo coronavírus, após o período de carnaval, sugerindo que a decisão foi motivada por interesses econômicos e não pela preocupação efetiva com a saúde pública.

A declaração do jornalista se deve à divulgação esta semana, feita pelo Ministério da Saúde, de que o novo coronavírus já havia chegado ao Brasil desde janeiro desse ano, com a primeira morte ocorrido já naquele mês. 

De acordo com o Ministério da Saúde, a descoberta é resultado de uma “investigação retrospectiva” dos pacientes internados com quadros de síndrome respiratória aguda grave.

“Lembrem-se que estamos fazendo a investigação de casos internados. Muitos desses casos estão com material colhido, e nós tivemos, a partir de investigação retrospectiva, a identificação do primeiro caso confirmado. Ele é da semana epidemiológica 4, de 23 de janeiro”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, na quarta-feira (02), segundo o G1.

Neste sentido, Milton Neves publicou uma mensagem com os seguintes dizeres: “Constatação: carnaval x aulas! Foi mais fácil cancelar as aulas do que o carnaval. Isso mostra o que é mais importante nesse país”.

O procurador da República Ailton Benedito também comentou, em resposta ao jornalista: “‘Especialistas’, jornalistas e democratas de retroescavadeira, que se arvoram senhores absolutos da única e verdadeira fórmula para enfrentar o #CoronaVírus e pregam confinamento dos brasileiros, não viram nenhum risco de propagação descontrolada durante o carnaval. Hipócritas!”.