“Essa neurose de fechar tudo não está dando certo”, diz Bolsonaro para a população

O presidente Jair Bolsonaro aumentou o tom contra os decretos estaduais que obrigam a população a se isolar e fechar comércios. O presidente citou como exemplo os Estados Unidos, onde segundo ele cerca de 3 milhões de pessoas já perderam o emprego por causa de medidas semelhantes.

“O desemprego já começou no Brasil”, disse o presidente. “Essa neurose de fechar tudo não está dando certo (…) Estão dizendo que eu estou mais preocupado com a economia do que com a violência. Meu amigo, sem grana você morre de fome, morre de depressão, suicídio”, destacou Bolsonaro.

O presidente lembrou que a falta de emprego em grande escala também faz aumentar os índices de violência. “Tive um recado da Damares, nossa ministra [da Mulher, Família e Direitos Humanos], e em alguns lugares do Brasil aumentou em 50% a violência contra a mulher. Qual a origem disso? A origem disso sabem qual é. Esse tal de confinamento, fica todo mundo em casa. Tem problemas. Em casa onde falta pão, todos brigam e ninguém tem razão”, disse ele.

Na transmissão feita em sua conta no Facebook, Bolsonaro então defendeu que o isolamento deve existir, mas apenas da população mais vulnerável, como idosos e outros com alguma debilidade de saúde, a chamada quarentena vertical, diferente da horizontal, onde toda a população é obrigada a se isolar.

“Na última semana, 3 milhões de pessoas já perderam os empregos nos Estados Unidos. Esse problema já começou aqui também. Temos que cuidar da questão da manutenção dos empregos. Tem município em estado que entrou na quarentena muito antes. Se bem que o que estamos conversando é para redirecionar para a quarentena vertical. É pegar uma pessoa idosa e isolar”, disse Bolsonaro.