Apoiadores de Bolsonaro rejeitam possível indicação de Kassio Nunes para o STF

A notícia de que o desembargador Kassio Nunes Marques, do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região), foi escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), não agradou a boa parte dos apoiadores do governo.

Apesar da informação não ter sido oficializada pelo Planalto, nem pelo próprio presidente, publicamente, a notícia circulou rapidamente os meios de comunicação na quarta-feira (30), tida como escolha certa, inclusive pelo próprio Kassio.

Outra notícia também provocou reações negativas entre os apoiadores do presidente: a de que Bolsonaro foi até a casa do ministro Gilmar Mendes para apresentá-lo a Kassio, junto com o também ministro Dias Toffoli, após contato feito pelo senador Davi Alcolumbre.

“Acompanhado de Kassio Nunes, Bolsonaro chegou à casa do ministro. Dias Toffoli também participou da conversa”, informou o G1. “Os ministros demonstraram ter sido positivamente surpreendidos”.

Um teste de reações?

Alguns analistas suspeitam também de que o presidente Bolsonaro estaria testando a reação popular diante da suposta indicação, e assim avaliando não só a opinião dos seus apoiadores, como da mídia, do “centrão” e do próprio judiciário.

O fato é que os indícios não parecem apontar para um teste, salvo o jornalista Lauro Jardim, de O Globo, tenha produzido uma tremenda fake news, pois ele não deu a notícia em caráter de suspeição, mas de conclusão.

Especulações à parte, o fato é que o nome de Kassio Nunes realmente decepciona e tal opinião é compartilhada até mesmo entre os apoiadores mais discretos do governo.

“O Sr. Kassio Nunes não corresponde às necessidades do Brasil, pois segue o padrão atual da corte que tem sido epicentro de nossa instabilidade política. Um jurista de carreira densa, conservador e discreto é o que precisamos. Isso o Sr Nunes não é. Espero que o PR repense”, comentou o jornalista e deputado Paulo Martins.

Um dos sites de direita mais citados pelo presidente, o Conexão Política destacou em sua chamada sobre o Kassio: “Lagostas e vinhos ao STF, apoio do ‘centrão’, favorável a Battisti e amigo do petista Wellington Dias”.

Um dos deputados mais atuantes da base bolsonarista no Congresso, Daniel Silveira também criticou: “A nomeação de Kassio Nunes não será de forma alguma positiva para o plano de suprimir a esquerda e seu plano globalista. Temos nomes conservadores e que estão na nossa esteira de desaparelhamento”.

O jornal virtual Brasil Sem Medo, ligado ao escritor Olavo de Carvalho, publicou uma “carta aberta” contra a indicação de Kassio para o STF, afirmando que o nome “não é a pessoa certa”.

“O desembargador Kassio representa muito daquilo que nós lutamos ― que o Sr. lutou! ― para remover do cenário político e judicial brasileiro. Advogado militante, ele só chegou ao cargo que hoje ocupa por indicação de sua famigerada antecessora Dilma Rousseff”, diz o editorial.

Conclusão

Por todas essas reações, a possibilidade do presidente Jair Bolsonaro mudar de ideia é grande, semelhantemente ao que fez na indicação de Renato Feder para o ministério da Educação.

Nomes de altíssimo gabarito técnico e alinhados ao perfil conservador, coisa inexistente entre os 11 ministros da Suprema Corte, não faltam na lista de cotados para o cargo. Entre eles se destacam Ives Gandra Martins Filho e o juiz responsável pela Lava Jato no Rio, Marcelo Brettas. Nos resta aguardar.