CRISE: sem Copa do Mundo e Libertadores, Globo também não exibirá a Fórmula 1

Dona dos direitos de transmissão da Fórmula 1 no Brasil desde 1981, a Globo deixará de mostrar as corridas da principal categoria do automobilismo a partir do ano que vem.

O contrato com a Liberty Media, empresa responsável por negociar as exibições, vence no final deste ano e não foi renovado.

Nos últimos meses, a emissora rompeu acordos com entidades ligadas ao esporte e perdeu direitos de eventos como a Copa do Mundo 2022 e a Libertadores 2020. Segundo a revista Meio & Mensagem, a Globo já avisou aos patrocinadores da Fórmula 1 que a próxima temporada não será mais transmitida pela emissora a partir do ano que vem.

Cada cota de patrocínio da F1 na Globo foi negociada por R$ 98,950 milhões, segundo o valor de tabela, que costuma sofrer descontos de até 30% nas negociações. Considerando o valor cheio, em 2020, a emissora faturou R$ 494,7 milhões com a categoria.

Nos últimos meses, Globo e Liberty Media negociaram a renovação do contrato, mas não conseguiram chegar a um valor em comum. A emissora não aceitou pagar o valor pedido pela empresa norte-americana, fez outras propostas, mas não houve acordo.

Assim como acontece com a Copa do Mundo e a Libertadores, os direitos da Fórmula 1 são negociados em dólar, moeda que teve forte valorização frente ao real no decorrer do ano. Desde o início da pandemia, com cortes nas verbas publicitárias e queda de receitas, a Globo passou a renegociar direitos de transmissão e rescindir contratos. Com: Notícias da TV

Lacombe estreia na Rede TV! com Sikêra Jr. e diz que agora é “sem mimimi”