“Globo está sendo irresponsável”, diz psicóloga sobre BBB com suspeita de depressão

Uma declaração feita pela cantora Gabi Martins, que está confinada no programa Big Brother Brasil (BBB20), afirmando que ela tomou medicamentos para depressão e parou de tomá-los antes de entrar no reality show, chamou atenção da mídia e também de profissionais da área de saúde mental, como a psicóloga Marisa Lobo.

Marisa, que possui vários livros publicados e viaja o Brasil inteiro dando palestras sobre o tema depressão e suicídio, condenou o que parece ser uma medida adotada pelo BBB20 sobre o não uso de medicamentos dentro da casa, chamando a Rede Globo de “irresponsável”.

Gabi fez a seguinte declaração para os colegas da casa: “Ano passado eu tive depressão e comecei a tomar remédio, todo dia, pra dormir e pra viver. E quando eu entrei aqui, não podia continuar. E eu falei: vou levar isso como a minha cura. Eu vou ser forte, Deus me ajuda todos os dias, e eu sei que preciso passar por isso”.

Ou seja, Gabi deu a entender que não pôde levar o seu medicamento e dar continuidade ao tratamento, supostamente, por restrições do BBB20. Em contato com o Opinião Crítica, a psicóloga Marisa Lobo comentou:

“É notável que boa parte das pessoas, especialmente os jovens, desejariam participar do Big Brother Brasil. Se trata de uma oportunidade de conquistar fama, e para pessoas do meio artístico, como é o caso de Gabi, isso é uma janela que pode parecer indispensável, mesmo que lhe custe a interrupção de um tratamento contra a depressão”, afirmou a psicóloga.

“É perfeitamente compreensível a decisão dela, o que não é aceitável é a hipótese de uma emissora ter como uma das exigências para entrar na casa o não uso de medicamentos, especialmente diante de um quadro depressivo. Não posso confirmar essa informação, mas se for comprovado que o BBB20 realmente tem esse tipo de restrição, a Globo está sendo irresponsável”, completou Marisa.

Mãe diz que é “exagero”

Diante da repercussão causada pela declaração de Gabi Martins, a mãe da cantora negou a informação de que a filha teria depressão, contrariando uma afirmação feita claramente pela própria BBB. 

“Foi um exagero falar em depressão, é ansiedade mesmo”, disse Mairá Martins, segundo o UOL. Ela tomava um remédio que ajudava a relaxar e a dormir mais. Quando ela foi escolhida para o programa, disse que não ia tomar mais, que queria viver tudo lá intensamente. Ela estava terminando o tratamento e resolveu parar logo antes de entrar na casa”, completou

Marisa Lobo criticou as palavras da mãe de Gabi e fez um grave alerta: “‘Exagero’? Só a pessoa sabe a dor que sente. É justamente este tipo de fala das pessoas que precipitam a depressão. Essa é uma afirmação que nunca podemos dizer ao depressivo e me surpreende a própria mãe dizer tal coisa”.

“Depois a mãe fala que notou que a filha está mais chorona, mas minimiza a ansiedade, sendo que uma ansiedade não tratada pode resultar em uma depressão em pessoas com pré disposição, por exemplo. Não é o fato da mãe desconhecer que a filha tinha depressão que exclui a possibilidade de Gabi ser realmente depressiva, pois muitos depressivos não externalizam o sofrimento”, completou a psicóloga.

A exposição no BBB como um agravante

Marisa Lobo também demonstrou preocupação com o fato de Gabi Martins sofrer muita pressão no BBB20, dado à exposição em rede nacional e o acirramento das emoções, como a eliminação do seu namorado, Guilherme.

“Nenhum tratamento com o uso de psicotrópicos deve ser interrompido aleatoriamente. No caso de uma pessoa depressiva, isso somado ao fato de se expôr a condições emocionais intensas, como no BBB, se torna ainda mais preocupante, porque pode servir de gatilho para o desencadeamento de crises”, disse ela.

Finalmente, Marisa Lobo explica que a Rede Globo precisa apurar junto à Gabi Martins a veracidade da sua declaração para poder oferecer um tratamento adequado à BBB, mesmo dentro da casa.

“A Globo disse em nota para [a coluna de] Maurício Stycer, que os BBBs possuem a disposição psicólogos e equipe de saúde caso precisem. Mas acontece que essa informação não tem utilidade alguma se houver restrição a medicamentos na casa. Qual dos BBBs vai dizer que precisa de um remédio, sabendo que isso pode lhe tirar do programa?”, questiona a psicóloga.

“É preciso apurar a veracidade do possível quatro psicopatológico de Gabi e revogar qualquer restrição quanto ao uso de medicamentos na casa. Feito isso, a responsabilidade pelo uso adequado ou não do remédio é do próprio BBB, e ai já não podemos condenar a Globo. Caso contrário, a emissora pode ser responsabilizada por qualquer dano que venha ocorrer aos participantes que dependem desses cuidados”, conclui Marisa.