Globo é criticada por incluir mulher trans em série de homenagem ao Dia das Mulheres

No Dia Internacional das Mulheres, comemorado na última terça-feira (08), o programa Globo Esporte exibiu mais um capítulo de uma série de reportagens intitulada “Lugar de Mulher”, a qual destaca o papel da figura feminina no esporte. No entanto, a emissora recebeu críticas por incluir a ‘mulher trans’ Tifanny Abreu entre os destaques.

Tifanny Abreu é um homem biológico que ficou conhecido por se tornar a primeira mulher transexual a disputar a Superliga feminina de Vôlei no Brasil, causando forte repercussão devido às críticas dos que enxergam a inclusão de atletas trans masculinos em disputas femininas algo desproporcional, biologicamente falando.

Na matéria exibida pela Globo, Tifanny afirma que muitas mulheres são vítimas de preconceito e machismo, sendo as mulheres trans ainda mais vitimadas, devido ao fato de muitos dizerem que tais pessoas não são “mulheres de verdade”.

“Todas as mulheres sofrem muito com machismo, né? E as mulheres trans sofrem o dobro”, observou Tifanny. Nas redes sociais, porém, figuras ligadas ao movimento conservador criticaram a Globo pela inclusão de uma transsexual na série que faz homenagem ao Dia das Mulheres.

“Globo esporte colocou uma mulher trans (homem biológico) na reportagem de comemoração do dia da mulher. Se eu disser o que penso, vou ser censurado, mas vocês sabem porque essa ‘mulher’ sempre é a melhor atleta do vôlei feminino, né?!”, criticou o deputado Carlos Jordy.

A psicóloga e ativista Marisa Lobo, presidente do PTB no Paraná, também reagiu ao comentário de Jordy, criticando o movimento feminista ao destacar que a origem da palavra “feminino” deriva de uma classificação biológica entre machos e fêmeas, algo que, segundo a especialista, é o que define homens e mulheres.

“Essa é a conquista das feministas? É isso o que o movimento queria para nós, mulheres? Porque se for, então mudem de nome e eliminem qualquer referência ao feminino, porque este é um adjetivo que advém da palavra fêmea, que é uma classificação biológica”, criticou Marisa. Assista: