Pandemia: número de suicídios no Japão já é maior que o de mortos pelo coronavírus

Enquanto o mundo aguarda ansioso o fim de 2020, mais uma notícia triste surge como um alerta aos países que enfrentam a pandemia do novo coronavírus: o número de suicídios no Japão em apenas um mês já é maior que o de mortos pelo Covid-19.

Essa informação foi publicada no relatório anual estatístico do governo japonês e também pela CNN, que citou o caso de Eriko Kobayashi, uma mulher de 43 anos que já tentou se matar no passado, para ilustrar como a pandemia do coronavírus pode estar relacionada ao aumento do número de suicídios.

No caso de Kobayashi, o medo de perder o emprego e voltar à pobreza é o gatilho emocional negativo. “Meu salário foi cortado e não consigo ver a luz no fim do túnel”, disse ela. “Tenho constantemente uma sensação de crise de que posso voltar a cair na pobreza.”

O número de suicídios no Japão sempre foi acima da média mundial, mas Michiko Ueda, especialista no tema e professor da Universidade Waseda, em Tóquio, relacionou o aumento dos casos em outubro, que totalizou 2.153, maior que os 2.087 mortos pelo coronavírus no ano inteiro, aos efeitos da pandemia.

“Nem tivemos um lockdown, e o impacto da covid aqui é mínimo em comparação a outros países… Mas ainda vemos um grande aumento no número de suicídios. Isso indica que outros países podem ver um aumento similar ou ainda maior nos números no futuro”, disse ele.

Psicóloga brasileira fez alerta

No começo da pandemia no Brasil, a psicóloga Marisa Lobo, colunista do Opinião Crítica, fez inúmeros alertas em suas redes sociais sobre os efeitos do isolamento social sobre a saúde mental da população, destacando o potencial aumento dos casos de suicídio.

Mas, segundo ela, “a grande mídia estava mais preocupada em especular números de mortos com manchetes sensacionalistas e fiscalizar a liberdade alheia do que investir no cuidado da saúde integral dos vivos.”

“Os efeitos colaterais são vários e muitos poderiam ter sido evitados se a politização não tivesse tomado conta do combate ao coronavírus, se a grande imprensa em vez de agir como um partido de oposição ao governo, tivesse tido o interesse de colaborar para salvar vidas, mostrando alternativas e não apenas relatórios fúnebres”, afirmou Marisa. Confira:

Fizeram terrorismo psicológico com a pandemia e ignoraram a saúde mental das pessoas