Entenda: registro de mortes por Covid-19 é diferente do número de mortos em 24h

Diariamente o Ministério da Saúde atualiza os dados sobre a pandemia do novo coronavírus no Brasil, o que é importante e necessário para o controle do surto em território nacional. Todavia, grande parte da mídia tem transformado esses relatórios em uma espécie de “showmício funerário”, e não em informações sobre o problema.

Quando se fala, por exemplo, que “o Brasil registrou 965 novas mortes por covid-19 em 24 horas”, esse dado não se refere ao número de mortes em 24 horas, mas sim ao número de registros!

Recentemente o Opinião Crítica publicou uma matéria refutando manchetes sensacionalistas divulgadas em veículos de grande porte. “Mídias como o portal UOL publicaram manchetes do tipo: ‘País tem 1.188 mortes em 24h’. O Valor publicou: ‘País bate recorde com 1.188 mortes em 24 horas’. A Veja também: ‘Brasil bate novo recorde com 1.188 óbitos em 24 horas'”.

Entretanto, o anúncio desses dados é feito de forma incorreta, pois o número de mortos informado pelo Ministério da Saúde não se refere às últimas 24 horas. Observe, por exemplo, a diferença da manchete publicada pela Agência Brasil em comparação com outras mídias.

“Covid-19: pais registra 965 mortes nas últimas 24 horas” (Agência Brasil). É diferente da manchete publicada pela Veja no dia anterior, observe: “Brasil bate novo recorde com 1.188 óbitos em 24 horas“.

No primeiro exemplo temos a informação do registro, enquanto no segundo temos o de “óbitos”. Mas afinal, qual é a diferença na prática? O próprio Ministério da Saúde esclarece, e isso vale para todos os dias de atualização sobre o REGISTRO de óbitos pelo coronavírus:

“Até o momento, o país registra 18.508 óbitos, sendo que 1.188 foram registrados nos sistemas de informação oficiais do Ministério da Saúde nas últimas 24h, apesar de a maioria ter acontecido em outros dias. Isso porque as notificações ocorrem apenas após a conclusão da investigação dos motivos das mortes. Desse total, 311 mortes ocorreram, de fato, nos últimos três dias e outras 3.534 estão em investigação”, diz o Ministério em seu site oficial.

Conclusão

O número de mortes registradas pela Covid-19 não representa o número de pessoas mortas em 24 horas. Comparando o sábado (965 registros) com a sexta-feira (1.188 registros), o país teve uma redução no número de registros fatais sobre a doença, o que é bom! 

O Brasil teve 16.508 novos casos confirmados e chegou ao total de 347.398 no último sábado (23). Do total de casos confirmados, 182.798 estão em acompanhamento (52,6%) e 142.587 estão recuperados (41,0%).

Como ainda existem 3.534 mortes em investigação, esses números serão atualizados nos próximos dias, entretanto, serão casos distribuídos ao longo dos dias, e não em 24 horas. Como observamos na explicação oferecida pelo próprio Ministério da Saúde, o número real de mortes em 24 horas é menor do que o que a grande mídia faz parecer.

Isto significa que a pandemia não é um problema grave ou não há necessidade de preocupação? Claro que não! Todos os cuidados devem ser mantidos. O que essa explicação revela é que há, sim, mídias que preferem explorar o medo e o clima de caos social por interesses alheios aos da verdade.