“É um inferno ter filhos!”, diz Porchat; ministra Damares Alves rebate humorista

O humorista e apresentador Fabio Porchat fez uma declaração que não soou nada bem diante do público, ao associar a criação dos filhos ao “inferno”. Como reação, a ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, fez publicação em resposta lamentando a fala do ator.

Questionado se pensava em ter filhos, Porchat declarou: “Não faço a menor ideia, mas é um inferno ter filhos! Eu tenho 37 e Nataly está com 33. Quando a gente começou a namorar, ela me disse que se não quisesse ter filhos, ela nem iria começar. Hoje, ela também não pensa”, disse.

“O maior medo é perder o que construímos. Somos muito companheiros. Não tivemos uma briga na quarentena. Tenho medo de um filho atrapalhar“, completou o humorista, com destaques nossos, segundo a Pais e Filhos.

Damares, por sua vez, rebateu: “Começo chamando atenção do Porchat para o fato de que ele se esquivou; filho não é inferno e sim bênção! Gostaria muito que ele refletisse sobre a gravidade de sua frase”, disse ela.

“Em um país onde temos tantos assassinatos de crianças e adolescentes, em um país que crianças são vítimas das mais terríveis formas de violência, na grande maioria praticada por pais e familiares, um ator tão popular declarar que ‘filho é um inferno e que atrapalha’ pode contribuir para mais ódio contra as crianças e incitar os pais covardes e doentes a acreditarem que, de fato, filho é uma maldição e um peso”, destacou a ministra.

Porchat se referiu aos cuidados

Apesar de algumas manchetes sensacionalistas darem a entender que Porchat teria dito que “filho é um inferno”, como escreveu Damares, na verdade o apresentador se referiu aos cuidados, isto é, à responsabilidade pela criação dos filhos, e não aos filhos propriamente.

Entretanto, tal declaração não muda a natureza polêmica da opinião de Porchat, visto que associar a criação dos filhos ao “inferno” e a algo que possa atrapalhar a relação do casal, em vez de beneficiar em amor, amadurecimento e aprendizado, também demonstra uma visão distorcida sobre o significado de família.

Damares, ainda assim, demonstrou empatia ao querer conversar com Porchat sobre o assunto, explicando que não querer ter filhos é uma opção, desde que tomada sem demonizar a criação dos mesmos.

“O humorista ainda tem a oportunidade de vir a público, pedir desculpas e dizer tão somente que não quer ter filhos, pois quer focar na carreira, e que ele e sua esposa querem viver sozinhos o amor que os une, sem falar algo tão terrível contra filhos”, disse a ministra em sua rede social.

“Apesar de o ator não gostar do nosso modo de dirigir o país e da forma como cuidamos do nosso povo, apesar de nossas diferenças políticas, registro que estou disposta a falar sobre este tema pessoalmente, com o coração aberto e com todo respeito, estou disposta a gastar um tempo com ele falando sobre proteção e defesa da infância. Peço que nos comentários não falem do ator, apenas escrevam mensagens de amor aos filhos”, conclui Damares.