Vídeo: manifestantes fazem “tomatasso” em painel com fotos de ministros do STF

Se você quer avaliar o nível de aceitação de uma determinada instituição aos olhos da sociedade, poucas coisas são tão contundentes quando a reação da própria sociedade sobre ela, e foi exatamente isso o que aconteceu nas manifestações deste 1° de maio de 2021, quando milhares de pessoas foram às ruas para protestar, entre outros, contra os ministros do Supremo Tribunal Federal.

Os atos ocorreram por todo o Brasil, e um deles chamou atenção quando a população resolveu exibir um painel com a foto de alguns dos ministros do STF, mas não em homenagem a eles, e sim para jogar… tomates!

No painel constaram imagens dos ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Carmem Lúcia e Luiz Roberto Barroso, entre outros. Na gravação é possível perceber que o “tomatasso” foi acompanhado de xingamentos e até socos no painel, enquanto uma pessoa narra o ato como uma expressão de revolta da população.

A cena pode parecer chocante para alguns, mas até que ponto ela deve ser interpretada apenas sob à perspectiva da agressão simbólica? Enxergar por esse lado, na verdade, é um erro, não porque negamos a gravidade do fato, mas sim, porque, o mais importante aqui é o que ele transmite ao país sobre a visão que a sociedade tem da atuação dos ministros que hoje ocupam as 11 cadeiras do STF.

Não estamos falando de algumas pessoas, mas de centenas e milhares, certamente milhões, que hoje repudiam a forma como alguns dos ministros (todos?) do STF estão atuando, de modo que o “tomatasso” e xingamentos, embora moralmente reprováveis, refletem diretamente essa insatisfação e sentimento de decepção de grande parte da sociedade.

Se os ministros do STF forem sensatos, não tomarão essa atitude como um “ataque”. Foi isso o que fizeram em 2020, e no que resultou? Mudou alguma coisa? Não! Ora, isso porque, não é um ataque à instituição STF, mas ao modus operandi dos que nela estão.

É a expressão popular em forma de grito, explícito, ainda que grosseiro, mas verdadeiro, legítimo e também democrático. Se alguém se sentir ofendido, que recorra aos tribunais. Abaixo disso, que faça uma reflexão sincera. Assista abaixo: