Maioria da Câmara acata decisão do STF e decide manter Daniel Silveira preso

Maioria da Câmara acata decisão do STF e decide manter Daniel Silveira preso
Reprodução: Google

A sessão na Câmara dos Deputados que julgou a legalidade ou não da prisão do deputado Daniel Silveira resultou na manutenção da prisão do parlamentar, ratificando, portanto, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), por maioria de 364 votos, contra apenas 130 contrários.

A decisão significa um momento histórico para a Câmara dos Deputados, no tocante à imunidade parlamentar, visto que até então nunca um deputado federal foi julgado e preso por suas palavras.

Em sua rede social, o presidente do PDT Roberto Jefferson lamentou: “Os 364 que votaram pela manutenção da prisão de Daniel Silveira atiraram contra os próprios pés, e estão enterrando as suas próprias imunidades parlamentares. E não pensem os deputados que as pressões do STF irão ficar por aí. Semana que vem vão querer indicar o presidente da CCJ”.

Durante toda a sexta-feira, o Brasil assistiu apreensivo a condução do processo envolvendo o parlamentar. Durante a sessão que julgou o deputado, políticos prós e contra à liberdade de Daniel defenderam suas visões, mas prevaleceu a orientação da maioria dos partidos.

Entre os parlamentares favoráveis à prisão de Daniel Silveira está a ex-aliada do governo, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), que fez questão de anunciar o seu voto através das redes sociais. “Meu voto no caso Daniel Silveira: SIM para manter a prisão determinada pelo @STF_oficial”.

O deputado Kim Kataguiri, que foi contra a prisão de Daniel, usou a situação para criticar os apoiadores do governo.

“Painel de votação mostra que Daniel Silveira continuará preso, inclusive com apoio dos partidos que serviram de base para Lira, o candidato de Bolsonaro. Felizes com a escolha do mito, gado bolsonarista? Vocês sabem que STF e centrão não parar apenas com Daniel, né?”, escreveu o parlamentar em sua rede social.