Magno sobre chantagem a Bolsonaro: “Querem indicar o STF em troca de relatório”

O ex-senador da República, Magno Malta, comentou sobre os rumores de que o presidente Jair Bolsonaro estaria sendo chantageado por causa da indicação do ex-ministro André Mendonça para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). O caso repercutiu ao longo do final de semana, após uma declaração feita pelo chefe do Executivo na sexta-feira (8).

“O presidente pressionado… veja até onde vai a canalhice dessa gente, e como isso ocorreu anos afio no Brasil”, disse Magno Malta em uma gravação feita por ele e divulgada em suas redes sociais. O ex-senador alegou que a suposta chantagem envolveria o relatório final da CPI da Pandemia.

Isso porque, foi o próprio presidente Bolsonaro que citou a CPI ao falar de “recados” que estaria recebendo, a fim de fazer com que ele desista da indicação do pastor André Mendonça para o STF.

“Esses desacertos, desencontros, essas críticas vazias, como temos um problema sério pela frente, que indiquei um excepcional jurista, que é evangélico também, para o Supremo, e tem corrente que não quer lá, quer impor, e chega recado: ‘A gente resolve CPI, a gente resolve tudo, me dê a vaga do Supremo’”, afirmou Bolsonaro.

“É o tempo todo desgaste, uma CPI que é um circo, tentam nos acusar do que nós não fizemos. Não gastei um centavo com a vacina Covaxin, como é que posso ser corrupto? Onde vai acabar isso? Quem perde com isso?”, questionou Bolsonaro.

Magno Malta, por sua vez, pediu para que o presidente tenha “força” e confie em Deus, visto que também tem “o povo” ao seu lado. Assista o vídeo gravado pelo ex-senador, abaixo: