Em carta, Jefferson critica o 5G da China: “Quem domina a informação, domina tudo”

O ex-deputado Roberto Jefferson, presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), escreveu mais uma carta onde faz críticas a algumas figuras do governo, como o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, ao senador Renan Calheiros, relator da CPI da Pandemia, associando a postura de ambos à implementação da tecnologia 5G no Brasil.

Isso porque, segundo Jefferson, o fato do senador Davi Alcolumbre estar demorando para pautar a sabatina do ex-ministro André Mendonça, indicado pelo presidente Jair Bolsonaro à vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), estaria relacionada a interesses econômicos e de controle social.

O ex-deputado ligou a demora de Alcolumbre a um jantar realizado entre Ciro Nogueira e Renan Calheiro, denunciado pelo pastor Silas Malafaia esta semana com base numa matéria do jornal Folha de S. Paulo publicada recentemente. “O objetivo verdadeiro é o 5G”, afirma Jefferson na carta.

Na sequência, Jefferson sugere que o jantar entre Nogueira e Calheiros teria sido para negociar um relatório favorável ao presidente Bolsonaro na CPI da Pandemia. Em nenhum momento, contudo, o petebista deu a entender que essa suposta movimentação teria o consentimento do Planalto, mas sim que seria uma iniciativa dos próprios parlamentares.

“Essa troca é valiosa, é bilionária, é colonizadora, é ideológica, é programática”, diz o ex-deputado na carta. “A absolvição [de Bolsonaro] no relatório corrupto em troca do sonho opressor dos chineses 5G”. Leia a íntegra do documento clicando aqui.