Tiro no pé? Prisão Zé Trovão a mando de Moraes vai incendiar os caminhoneiros do país

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (03/09) a prisão do jornalista Wellington Macedo e do caminhoneiro conhecido como Zé Trovão (“A voz das estradas”).

Moraes se baseou em um pedido feito pela subprocuradora da República, Lindôra Araújo, responsável por um inquérito que investiga alguns dos organizadores da manifestação marcada para o próximo dia 7 em várias cidades do Brasil.

Macedo já foi preso, mas Zé Trovão ainda não foi encontrado. Entretanto, segundo o R7, o mandado de prisão contra o motorista já foi expedido e ele poderá ser preso nas próximas horas. Todavia, a decisão de Moraes não parece ter sido nada inteligente, especialmente restando poucos dias para os atos de 7 de setembro.

O motivo é muito simples! Zé Trovão não é só mais um entre milhões de manifestantes. Ele é um dos grandes nomes que representam a categoria de caminhoneiros no Brasil, tendo influência sobre milhares de motoristas em todo o país. Seu slogan, “a voz das estradas”, não é por acaso.

Antes de ser alvo de busca e apreensão, Zé Trovão se manteve em contato com lideranças da categoria dos caminhoneiros em várias partes do país, e já havia avisado da possibilidade da sua prisão, incentivando os colegas a darem continuidade à programação prevista para a manifestação.

A categoria dos caminhoneiros, por sua vez, tem o poder de realmente “parar” o país se quiser, pois são esses motoristas os responsáveis pela circulação de médias e grandes mercadorias que abastecem o Brasil inteiro, desde as que chegam nos grandes portos litorâneos até aos interiores mais remotos.

Não há dúvida, portanto, de que o efeito gerado pela prisão de um líder caminhoneiro poderá ser totalmente inverso ao esperado por Alexandre de Moraes, especialmente porque isso já havia sido previsto por Zé Trovão, bem como por seus aliados, uma vez que isso indica que eles já possuem um plano de reação para lidar com esse fato.

Agora a pouco, por exemplo, o próprio Zé Trovão apareceu numa live ao vivo (veja abaixo), de um local não identificado, afirmando que ainda está em liberdade e que só irá se “entregar” à Polícia Federal no dia 7, em Brasília. A sua estratégia, portanto, parece muito clara e visa contar com o apoio dos caminhoneiros e dos manifestantes para tentar impedir a sua prisão ou inflar ainda mais os protestos contra o STF.

A nossa aposta, portanto, está em acreditar que os motoristas não aceitarão a prisão de Zé Trovão e vão se mobilizar ainda mais a partir de agora, parando suas atividades no dia 7 até que o colega tenha garantia de plena liberdade e as demais pautas da manifestação sejam no mínimo analisadas. Em outras palavras, como diz o jargão popular, Moraes deu um “tiro no pé”. Assista: