Randolfe enterra a CPI da Covid ao confessar que o objetivo é “prender Bolsonaro”

Uma declaração dada na manhã desta segunda-feira (21) pelo senador Randolfe Rodrigues, vice-presidente da CPI da Covid, reforça a tese que aliados do governo já vinham defendendo desde que a Comissão foi instalada no Senado Federal, a saber: de que o objetivo não é investigativo, mas sim político, com o propósito exclusivo de atacar o presidente Jair Bolsonaro.

Ao se vacinar nesta segunda, em Macapá, Randolfe foi questionado pessoalmente por um apoiador do presidente: “Por que aquela CPI da palhaçada?”. O senador respondeu: “Por que a gente vai prender Jair Bolsonaro”.

Ambos, Ranfolfe e o popular, bateram boca em seguida, onde o senador voltou a chamar o presidente de “genocida”, culpando-o diretamente pelas mortes de pessoas em decorrência do coronavírus, enquanto era rebatido pelo cidadão defensor de Bolsonaro. Tudo foi gravado em vídeo.

Enterraram a CPI

A declaração de Ranfolfe, bem como o comportamento que os senadores oposicionistas vêm demonstrando ao longo das oitivas da CPI da Covid, deixam claro que a Comissão não possui um dos quesitos cruciais para a validação dos seus trabalhos: a imparcialidade investigativa.

A natureza de uma CPI, ainda que associada à política, é a investigação acerca dos fatos sobre o tema proposto, e para isso a imparcialidade é a condição indispensável na procura pela verdade. Uma vez que o vice-presidente da Comissão diz antecipadamente a qualquer relatório conclusivo, e fim dos trabalhos, que o objetivo é “prender Jair Bolsonaro”, ele deixa claro que já possuem um objeto definido de acusação.

Na prática, os senadores oposicionistas já enterraram a credibilidade moral e até judicial da CPI da Covid. O caráter investigativo e imparcial, necessário nesse tipo de situação, foi completamente posto de lado. Tudo o que resta são interesses políticos, os quais buscam construir uma narrativa contra o presidente da República através da Comissão.

A CPI da Covid, portanto, está servindo nada mais do que como um instrumento político nas mãos da oposição. Mas com tamanha exposição de interesses e consequente descrédito cada vez maior, tudo o  que os senadores estão conseguindo até o momento é enterrar a própria Comissão, que ao final publicará um relatório sem qualquer valor aos olhos da sociedade e com pouquíssimo peso político-judicial. Assista: