O Brasil nunca teve uma primeira-dama como Michelle; quem a critica é por canalhice

Nos últimos dias, vimos uma série de críticas direcionadas à primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, por causa da sua comemoração pela aprovação do ex-ministro André Mendonça, no Senado Federal, para uma vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal. Ela virou alvo de deboches e intolerância por causa da sua oração fervorosa a Deus.

Porém, acredito que, na verdade, os críticos de Michelle só se aproveitaram de uma situação atípica para lhe atacar, usando de um oportunismo covarde e medíocre para destilar ódio e intolerância religiosa contra a fé cristã de milhões de evangélicos pentecostais.

Isso porque, na realidade não há nada que desabone a conduta, a moral e o trabalho de Michelle. Muito pelo contrário, posso afirmar sem medo que o Brasil nunca teve uma primeira-dama com as qualidades dessa mulher, cuja humildade e a demonstração de amor pelo próximo se destacam.

Michelle Bolsonaro não é um poste, como foram outras antes dela. Ela não apenas se preocupa com o povo, como põe a mão na massa para trabalhar em função do povo. O programa Pátria Voluntária, criado em julho de 2019 e do qual ela é a presidente do Conselho, é só um dos vários exemplos disso.

O seu olhar voltado para pessoas com necessidades especiais é outra qualidade que se destaca e que dispensa comentários, pois qualquer pessoa minimamente honesta e informada sabe do quanto ela atuou em prol desse público. A linguagem de sinais no Brasil, acredito, nunca foi tão disseminada quanto agora, com a chegada de Michelle Bolsonaro.

Beleza, simpatia, fé em Deus, humildade e trabalho em favor dos mais necessitados, essas são às qualidades que norteiam a vida da primeira-dama Michelle Bolsonaro. Quem a critica por causa de uma expressão de fé, portanto, é porque não tem outra coisa a fazer, senão vomitar sua própria maldade e inveja internalizadas.

Concluo citando um versículo que a própria Michelle publicou em seu Instagram nesta segunda, em resposta aos intolerantes, localizado em 1 Coríntios 2:14, e dizendo que, como presidente nacional do Movimento Pró-Mulher, repudio os ataques odiosos contra a primeira-dama, ficando aqui registrada a minha solidariedade à sua pessoa.

“Ora, o homem natural não compreende as coisas do espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente”.